Brasil

Quem é melhor? Fiscal atacado no Rio tem mestrado e doutorado

Durante fiscalização, mulher atacou servidor da Prefeitura com fala preconceituosa. "Cidadão não. Engenheiro Civil, melhor do que você"

Maíra Alves
postado em 06/07/2020 19:11
 (foto:  Reprodução/TV Globo)
(foto: Reprodução/TV Globo)
Durante fiscalização, mulher atacou servidor da Prefeitura com fala preconceituosa. Superintendente de inovação, pesquisa e educação da Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio de Janeiro, Flávio Graça, que foi intimidado por clientes de um estabelecimento na Barra da Tijuca , quebrou o silêncio e declarou que as agressões não o atingiram. ;Porque ali estou representando o estado para proteger a vida deles;, afirmou ao jornal o Extra.

A reportagem que aparece o fiscal sendo vítima dos ataques foi exibida no programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (5/7). Nas imagens é possível ver uma grande aglomeração de pessoas num bar, desrespeitando as medidas de distanciamento social, bem como o decreto municipal que autorizou, com regras, a reabertura de bares na cidade do Rio de Janeiro.

Ao ser abordada, a mulher, que estava ao lado do companheiro, humilhou o fiscal da Prefeitura. "A gente paga você, filho. O seu salário sai do meu bolso" e "Cidadão não. Engenheiro civil, formado. Melhor do que você", foram algumas das frases proferidas contra o servidor.

Flávio, que é mestre e doutor pela Universidade Federal Rural do Rio (UFRRJ) em ciências e medicina veterinária, lamentou a atitude do casal. ;Começaram a falar palavrões, todos muito agressivos. Aquelas agressões não me atingiram, porque ali estou representando o estado para proteger a vida deles;, informou ao jornal.

;Não cabe mais no Brasil o ;Você sabe com quem está falando?;. Isso está ficando cada vez mais banido. Todo cidadão contribui com seus impostos para justamente nós o protegermos. Esse foi o princípio da cidadania que eles não exerceram. Ela achou que cidadão é ofensa e não é. Quando eles falam aquilo, não nos atingem. Todos são formados e com curso superior. Ficou feio para ela, para a imagem do carioca;, disse o superintendente.

Ataques rotineiros

Ainda de acordo com a Vigilância Sanitária, intimidações como essa têm se tornado cada vez mais recorrentes no período de pandemia. Por causa disso, o órgão está capacitando, técnica e psicologicamente, seus agentes para que eles estejam preparados e consigam agir diante dessas abordagens. ;Somos orientados a não responder às agressões. Quem está agredindo não está agredindo o fiscal;, explicou ao jornal o Extra, e completa ;não queremos nos rebaixar àquele nível. Quem está errado que fique nervoso;.

O estabelecimento em que o casal estava foi multado e interditado por aglomeração e falta de higiene, principalmente na cozinha e nos banheiros, segundo a Vigilância.

;Cidadão não;

Após a grande repercussão da fala preconceituosa, ;cidadão não; virou bordão nas redes sociais em que usuários ironizam a fala do vídeo:

[VIDEO1]

[VIDEO2]

[VIDEO3]

#Demitida e #Cidadão também foram os assuntos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira (6/7).

Demissão

A mulher que apareceu na reportagem ofendendo o fiscal foi demitida da empresa em que trabalhava, nesta segunda. Em nota, a Taesa ; uma empresa privada de transmissão de energia elétrica ; informou que demitiu a mulher porque ;a companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia", diz o posicionamento.

"A Taesa ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a Taesa decidiu por sua imediata demissão", acrescenta.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação