Publicidade

Correio Braziliense

Fundador da Ricardo Eletro é alvo de operação por lavagem de dinheiro

A operação conjunta também está investigando possível sonegação fiscal. Operação conta também com Receita Estadual e Ministério Público de Minas Gerais


postado em 08/07/2020 07:58 / atualizado em 08/07/2020 08:02

Foram cumpridos 17 mandados como resultado da operação conjunta
Foram cumpridos 17 mandados como resultado da operação conjunta
A Polícia Civil, a Receita Estadual e o Ministério Público de Minas Gerais cumprem na manhã desta quarta-feira 14 mandados de busca e apreensão e três de prisão em cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte e de São Paulo. As ordens visam empresários ligados à rede de varejo especializada em eletrodomésticos Ricardo Eletro e são frutos de uma operação contra lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.


As autoridades estimam que os empresários tenham sido beneficiados em R$ 400 milhões pelas infrações nos últimos cinco anos. Entre os gestores alvos da operação está Ricardo Nunes, fundador da Ricardo Eletro. Parentes do administrador, como o irmão mais novo, Rodrigo Nunes, e a filha mais velha, Laura Nunes, também são suspeitos.

Em Belo Horizonte, uma residência de luxo no Bairro Belvedere, na Região Centro-Sul, foi alvo de mandados. Em Contagem, na Região Metropolitana de BH, no Bairro São Mateus, o centro de distribuição da Ricardo Eletro também foi visitado pelas autoridades.

A operação, batizada de “Direto Com o Dono”, também reflete em ordens em Nova Lima, também na Região Metropolitana, e em duas cidades paulistas: Santo André e São Paulo. Ricardo Nunes foi preso em solo paulistano, enquanto os outros dois suspeitos foram detidos em BH. A empresa ainda não se manifestou sobre a operação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade