Brasil

Doria torna mais frouxa quarentena

postado em 11/07/2020 04:12
Segundo Doria,

O governo de São Paulo anunciou, ontem, o maior afrouxamento à quarentena no estado desde maio, quando o programa de retomada econômica em meio à pandemia do coronavírus, o Plano São Paulo, foi anunciado. Apenas a regiões de Araçatuba, Campinas, Franca e Ribeirão Preto permanecem com o grau de restrição máxima, em que só o comércio essencial é autorizado a funcionar. Todo o restante poderá liberar o funcionamento de lojas de rua e shoppings, além de imobiliárias, concessionárias e escritórios, a partir da próxima segunda-feira.

Barretos, Presidente Prudente, Bauru, Sorocaba e Marília estavam com liberação apenas dos serviços essenciais, a fase ;vermelha;, e agora foram reclassificadas para a fase ;laranja;, em que poderão retomar o comércio de rua, shoppings, concessionárias e imobiliárias. As duas primeiras estavam na fase laranja havia quatro semanas.

Já as regiões de Registro, da Baixada Santista e parte da Grande São Paulo, que estavam na fase ;laranja;, entraram na fase ;amarela;, a mesma em que está a capital, quando bares, restaurantes e academias de ginástica podem voltar a funcionar. ;Todos devem se lembrar que, podendo ficar em casa, devem permanecer em casa;, disse o governador João Doria (PSDB), ao anunciar as mudanças, lembrando que a quarentena ainda permanece e, agora, foi renovada até o dia 30 de julho. O uso de máscara continua obrigatório e passível de multas.

Segundo Doria, essa nova fase ;marca gradualmente, de forma segura, o retorno à normalidade. Uma fase que resgata a esperança;. Ainda de acordo com o governador, ;depois de um longo período enfrentando o pico, estamos entrando em um platô; da evolução da doença. ;Isso significa atenção redobrada para mantermos o platô;.

O estado registrou mais 9.395 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, fazendo o total de infecções confirmadas chegar a 359.110 registros. Já o número de mortes pela doença foi para 17.442, ontem, com 324 óbitos a mais desde quinta-feira.

Ao lado de Doria, o epidemiologista Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, avaliou as mudanças no mapa do estado como uma evolução ;satisfatória;. ;Vi a evolução do mapa, de acordo com a classificação de risco das regiões, de forma muito satisfatória. Um progresso que é gradual e mostra a direção para a qual estamos caminhando;, afirmou. Ele também usou a expressão ;platô; para se referir à atual situação da epidemia no Estado.

Menezes, por outro lado, destacou a atenção necessária para evitar um novo crescimento abrupto de casos, a chamada ;segunda onda;. ;Temos uma preocupação muito grande com um risco de ter a chamada segunda onda. Uma preocupação internacional, que tem sido observada em outros países e cidades que tiveram seus processos de reabertura e retomada de atividades, mas nossa leitura aqui é que sempre há um risco, mas tudo indica que estamos andando de forma muito segura em relação a isso;.


Governador garante GP apesar da dúvida
O governador João Doria afirmou, ontem, que o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 deste ano não corre o risco de ser cancelado. Ele afirmou que a prova, no Autódromo de Interlagos, será em novembro, mesmo com os problemas enfrentados pela principal categoria do automobilismo em marcar as etapas por causa da preocupação com o novo coronavírus. Porém, não está garantida a realização da corrida. Por questões de logística, custo de viagem e pela situação da pandemia, as etapas previstas inicialmente para o México e Estados Unidos também devem ser canceladas ;; a categoria confirmou mais duas provas, além das oito previamente marcadas: as corridas em Mugello, na Itália, e em Sochi, na Rússia, em setembro. Segundo Doria, por São Paulo ter um contrato para receber a prova até 2020, o cancelamento não é uma decisão simples.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação