Brasil

Guardas municipais humilhados por desembargador são condecorados

Cícero Hilário Roza e Roberto Guilhermino da Silva receberam medalhas e flores em cerimônia realizada pela prefeitura de Santos

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 21/07/2020 11:49
Eles contam que experiência foi fundamental para manter a calma durante a abordagem e que apoio da família e dos amigos foi importante A história dos dois guardas civis municipais da cidade de Santos (SP) humilhados pelo desembargador Eduardo Siqueira ganhou novos contornos. É que a prefeitura da cidade resolveu homenagear Cícero Hilário Roza, 36 anos, e Roberto Guilhermino da Silva, 41, com uma medalha em agradecimento pelos serviços prestados à população durante a pandemia.
Na cerimônia, realizada com a presença das famílias de ambos na noite da última segunda-feira (20/7), a atitude calma da dupla ao longo de toda a ocorrência foi elogiada. Ao site oficial do município de Santos, Roberto Guilhermino, que tem 18 anos de carreira, explicou que a experiência ajuda muito.
[SAIBAMAIS] ;Prestamos apoio a outros órgãos, algumas ocorrências que envolvem, por exemplo, pessoas em situação de rua e também apoiamos abordagens a pessoas que fazem uso de medicamentos. São situações que adquirimos experiência para lidar com situações comportamentais diversas. A gente tem que saber fazer a separação que, por trás do homem, existe um profissional capacitado para lidar com situações de tensão;, lembrou.
Para Cícero Roza, o episódio gerou um mal-estar pela forma como foram tratados por exercer o próprio trabalho, mas o apoio dos amigos e da família foi importante na superação do ocorrido. ;Depois da repercussão, vizinhos, amigos e familiares começaram a mandar mensagens de apoio e, de uma tristeza, o sentimento mudou. A gente vê que uma postura nossa gerou admiração, nosso trabalho foi reconhecido e isso trouxe orgulho para minha família;, comentou.
Confira a homenagem: [VIDEO1]

Carteirada

No domingo (19/7), os guardas civis participaram de uma operação na cidade de Santos, litoral de São Paulo, para fiscalizar o uso de máscaras pela população. Os dois estavam amparados pelo decreto municipal n; 8944 de 2020, que prevê multa para os moradores que descumprirem a regra.
O desembargador Eduardo Siqueira andava pela praia sem a proteção e, ao ser autuado, não só se recusou a receber a multa como também reagiu agressivamente chamando um dos guardas de analfabeto e rasgando o papel e atirando-o ao chão. O vídeo rapidamente se espalhou pela internet e causou revolta e comoção por parte dos internautas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação