Festivais musicais na década de 1970 em Brasília reuniam criativos jovens

Clésio, Clodo e Climério são lembrados pelo talento "repartido" à época

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2013 07:00 / atualizado em 19/04/2013 16:12

Edvaldo Barbosa/CB/D.A Press - 8/4/88

Alguém já confundiu, mas os piauienses Clésio, Clodo e Climério Ferreira nunca foram um trio de verdade. Fizeram muita história em Brasília, porém eram, apenas, três compositores. “Fazíamos discos juntos, mas cada um cantava suas canções. Era a reforma agrária da canção”, explica Climério, o primeiro a chegar à capital, em 1962. Ele veio curioso pela oferta de cursos oferecidos pela recém-inaugurada Universidade de Brasília (UnB). Optou por comunicação e se apaixonou pelo mundo das letras e da poesia. Clésio chegou à cidade em 1964 para morar com o irmão e, no ano seguinte, Clodo, pai, mãe e as cinco irmãs vieram também.



Clodo, que tocava violão, e Climério — interessado no trabalho de Vinícius e no movimento Tropicalista — compuseram a primeira canção. Estavam empolgados com a explosão de festivais de música na época. Brasília era o lugar ideal para se inspirar, segundo Climério. “Tínhamos qualidade de vida e espaço. Além disso, eram poucas pessoas que trabalhavam com isso, o que facilitou", diz. Ele ressalta que havia uma vontade grande de passar pela capital: “A UnB era um grande atrativo e depois, participar de uma aventura em uma cidade que não tinha nada igual. Os mais criativos conviviam juntos”, conta.

Em pouco tempo, o cantor cearense Ednardo os trouxe para gravar um disco. Clésio ficou conhecido pela música Revelação, na voz de Fagner — além de Conflito e Cebola cortada do trio. A cantora Nara Leão e o mestre Tim Maia também se encantaram com o talento dos irmãos — que foram além ao organizar, por exemplo, parceria com Dominguinhos em mais de 60 trabalhos, como Caxinguelê e Dia Claro.

O Festival de Música do Centro de Ensino Unificado de Brasília (Ceub) foi importante para destacar o talento de Clodo e de Fagner. Em 1972, Clodo teve o primeiro lugar com sua canção Placa luminosa e o segundo com sua música Sino, sinal aberto, ambas interpretadas pelo grupo Matuskelas, ganhador dos prêmios de Melhor Arranjo e Melhor Interpretação.

Fagner, por sua vez, ganhou — no ano anterior — o mesmo evento com a canção Mucuripe, mais tarde imortalizada por Roberto Carlos. Desde então, ele chama a atenção da crítica e, principalmente, do público.

Placa Luminosa
Composição: Clodo e Zeca Bahia
Interpretação: Matuskelas


Seu corpo tão barato
Me custou tão caro
Você está tão longe
Estendida em brancos lençois
Impuros
Mas tão puros, quando a madrugada
Manchada do vermelho
Sangue forte e quente da placa luminosa
O capital de giro gira em sua cara
O dia anoitece e amanhece a noite
Seu corpo tem a forma colorida e fria
Da placa luminosa

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.