Publicidade

Correio Braziliense

Criado em 2017, bloco Eduardo e Mônica reúne 10 mil pessoas no SIG

É o segundo ano do bloco, que se concentra na Quadra 8 do Setor de Indústrias Gráficas (SIG) para atrair os amantes do rock


postado em 11/02/2018 20:00 / atualizado em 12/02/2018 00:35

Ver galeria . 15 Fotos Régis Folia está fantasiado de minieBárbara Cabral/Esp. CB/DA Press
Régis Folia está fantasiado de minie (foto: Bárbara Cabral/Esp. CB/DA Press )
 
Desde antes do meio dia, muita gente já aguardava a banda Eduardo e Mônica, que puxou o bloco homônimo inspirado em uma das músicas mais conhecidas do grupo de rock Legião Urbana. Este foi o segundo ano do bloco, que reuniu, segundo a Polícia Militar, cerca de 10 mil pessoas na Quadra 8 do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), segundo os organizadores (a PM falou em 4 mil). O show contou com participação do músico Philippe Seabra, da Plebe Rude. 

Este ano, a área de concentração foi ampliada. Algumas pessoas, como o advogado João Carlos Almada, 40 anos, e a namorada Valéria Brandão, 42, chegaram mais cedo para aproveitar a feijoada (R$ 36) servida no bar que serve de camarote para a folia. Cerca de 500 ingressos, a R$ 70, com consumo à parte, foram vendidos para o camarote, informou Thales Furtado, um dos sócios do local e idealizadores do bloco inspirado na famosa banda brasiliense da década de 1980. 

O local reservado, cercado de seguranças, foi ideal para Gisele Sampaio, 32 anos, grávida de 36 semanas de Gabriela. “Somos carnavalescos até a alma”, diz ela, casada há 12 anos com o engenheiro civil Carlos Eduardo. “Aí, ela veio bem na época do Carnaval, quase que não deixava a gente se divertir”, diz, sobre o bebê.  

Moradora do Guará II, Gisele diz não ser, exatamente, uma fã de rock, pois prefere música baiana: “Amo axé”, afirmou a jovem.  Ela achou "salgado" o valor cobrado, mas permaneceu no local a pedido do marido, para a segurança da família

Voto de confiança ao carnaval de Brasília

 
Valéria é outra apaixonada por axé. Mas acompanhou João Carlos, amante do rock. Brasilienses, os dois adoram Renato Russo, ex-vocalista e compositor da Legião, morto em 1996. Viajam sempre ao carnaval, mas este ano, se deixaram levar pela propaganda sobre a folia em Brasília. Morador da Vila Planalto, João Carlos diz que resolveu “dar um voto de confiança ao carnaval de Brasília”. Aprovou.
 
O único problema registrado devido ao bloco foram foliões que invadiram uma lanchonete próxima ao evento, forçando o estabelecimento a fechar as portas mais cedo. De acordo com a gerente, mais de 500 pessoas usaram os sanitários e os sanitários ficaram entupidos porque os usuários jogaram papel higiênico no vaso. Um casal também foi flagrado fazendo sexo no banheiro. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade