Publicidade

Correio Braziliense

Eixão do Lazer: muito mais do que 90 pessoas

Pesquisa feita pelo DER e divulgada pelo próprio secretário de Transportes indica que Eixão do Lazer é freqüentado por cerca de 2 mil brasilienses em um único domingo. Movimento é maior pela manhã


postado em 17/05/2008 08:03 / atualizado em 17/05/2008 08:28

Estudos do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) mostram que o Eixo Rodoviário é fechado aos domingos e feriados para mais do que “100 pessoas passearem com os cachorrinhos”, como afirmou o secretário de Transportes, Alberto Fraga. Para embasar a decisão do governo de reduzir o horário de funcionamento do Eixão de Lazer, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) mediu a quantidade de freqüentadores do local no domingo 27 de abril. De 15 em 15 minutos, um técnico do órgão anotou a quantidade de pessoas que passavam pela via, tanto do lado sul quanto do norte. Na Asa Sul, 886 pedestres e 1.025 ciclistas usufruíram do Eixão do Lazer naquele dia. Na Asa Norte, o movimento foi de 1.576 pessoas a pé e 800 em bicicletas. Os números foram apresentados nesta sexta-feira (16/05) pelo próprio secretário Alberto Fraga, em entrevista ao Correio. Apesar da grande quantidade de freqüentadores apontada pelo estudo, a maior demanda se concentra na parte da manhã. A partir do meio-dia, o técnico não computou os dados no estudo. “Horas se passavam sem que nenhuma pessoa fosse vista”, justificou Fraga. Segundo ele, a maior procura pelo Eixão do Lazer ocorre entre as 10h e as 11h. Além disso, acrescentou, os números da pesquisa podem apresentar duplicidade, pois as pessoas eram contadas na ida e na vinda, por isso, um mesmo pedestre pode aparecer duas vezes na pesquisa. Enquanto mediam a quantidade de pessoas no Eixão, os técnicos também calculavam o número de carros presos em congestionamentos na Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia). À tarde, mesmo aos domingos, 50 mil veículos se enfileiravam na via, em frente ao ParkShopping e à loja de departamentos Leroy Merlin. “Vamos prejudicar a maioria das pessoas por causa de uma minoria ruidosa?”, provocou o secretário. Fraga diz que os eixos W e L já mostram sinais de saturamento, mesmo durante os finais de semana, o que justificaria a liberação do Eixão aos carros a partir do meio-dia. Desacordo As explicações, porém, não convencem a população. A medida anunciada pelo governo repercutiu entre a bancada do DF no Congresso Nacional e na Câmara Legislativa. “Acho um absurdo querer acabar com uma conquista da população de Brasília. O Eixão é fechado desde 1991. É uma conquista para a paz no trânsito”, lembrou o deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB). Para ele, o GDF deveria acelerar a conclusão da duplicação da Epia. “A liberação dos recursos federais para a obra está em dia. Dos R$ 10,5 milhões empenhados em 2007, R$ 6,5 milhões já foram pagos”, explicou. Segundo Rollemberg, a bancada do DF na Câmara dos Deputados prevê destinar mais R$ 20 milhões em emendas parlamentares para o ano que vem. “Esse Eixão reservado no domingo é uma das boas coisas de Brasília e não vejo necessidade de mudar. Aos domingos, não tem tanto trânsito para justificar essa medida. Vai prejudicar o lazer dos cidadãos sem trazer nenhum benefício”, afirmou o senador Cristovam Buarque (PDT). Deputados distritais também não pouparam críticas ao governo. O líder do PT na Câmara Legislativa, cabo Patrício, cobrou melhorias no transporte público. “Essa desculpa do secretário de que tem que abrir por causa da Epia não é verdadeira. As pessoas se deslocam para o Plano Piloto no meio da semana. O governo deveria se preocupar em oferecer um transporte público de qualidade”, afirmou. O líder do governo, Leonardo Prudente (DEM), saiu em defesa do secretário de Transportes. “O Eixão cumpre um papel de lazer, mas não acredito que há problemas de ele ser aberto aos carros a partir do meio-dia. É notório que as pessoas preferem usá-lo pela manhã, antes do almoço, quando o sol é mais fraco”, alegou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade