Publicidade

Correio Braziliense

Cerca de 100 pedagogas e psicólogas protestam no Buritinga

 


postado em 20/08/2008 20:44 / atualizado em 20/08/2008 21:07

Pedagogas e psicólogas da Equipe de Avaliação/ Apoio à Aprendizagem (EA/AA) do Distrito Federal se reuniram no Buritinga nesta quarta-feira (20/08) para unir forças para a apresentação de propostas ao secretário de educação José Luiz Valente. A intenção era impedir a exclusão da EA/AA, equipe itinerante – formada por uma pedagoga, um psicólogo e um orientador – que atua em várias cidades do DF auxiliando na educação de alunos com dificuldades de aprendizado, crianças especiais ou hiperativas. No entanto, a manifestação pacífica – sem cartazes, panfletos ou algazarra – teve de ficar do lado de fora do portão, sob olhares de policiais militares. Cerca de 100 profissionais foram barrados e convidados a se retirar do local. O sindicato dos professores (Sinpro – DF) passou parte da tarde em negociação com o secretário de educação. "Eles apresentaram uma minuta em que a equipe não será extinta. Haverá algumas mudanças, como, por exemplo, cada escola terá um orientador lotado nela, ou seja, ele não fará mais parte da equipe. Para isso, eles pretendem contratar 78 profissionais. Com o acompanhamento que a equipe dá a alunos, tentamos evitar a criminalidade nas escolas", explica o coordenador do Sinpro, Washington Dourado. De acordo com a assessoria da Secretaria de Educação, as propostas serão analisadas para uma próxima reunião que ocorrerá em duas semanas. Ninguém soube explicar porque motivo as professoras foram maltratadas no Buritinga, em Taguatinga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade