Publicidade

Correio Braziliense

Praça dos Cristais é revitalizada

Praça em frente ao Quartel General do Exército foi revitalizada. Obra será inaugurada na próxima sexta e já atrai visitantes


postado em 25/08/2008 09:35 / atualizado em 25/08/2008 09:50

Distante do movimento das avenidas e cercada pelo silêncio, a Praça Cívica do Quartel General do Exército, popularmente conhecida como Praça dos Cristais, recupera-se de anos de maus tratos e esquecimento e aguarda que a população de Brasília dela se aproxime com respeito e atenção. Os espelhos d’água que se escondiam sob camadas de terra vermelha, agora se animam com a água do poço artesiano. Depois de vinte anos sem funcionar, ele foi recuperado e abastece os espaços nos quais começam a viver dois mil peixes, entre carpas, tilápias e carás. Até a pedra portuguesa que pavimenta a praça foi lavada para recuperar um pouco do aspecto original.

Aos 38 anos, a Praça dos Cristais — o nome vem das esculturas de pedra em forma de cristais, que simbolizam as riquezas minerais do Planalto Central — ganhou a restauração por dois motivos: o espaço está sendo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e, em 2009, será comemorado o centenário do arquiteto e paisagista Roberto Burle Marx, criador do projeto da praça.

O prefeito militar de Brasília, coronel Santos Guerra, dirige os trabalhos. Ele quer a obra pronta até 31 de agosto, para as comemorações do Dia do Soldado, quando haverá a Corrida Duque de Caxias, patrono do Exército. “Queremos inserir a praça no roteiro turístico arquitetônico de Brasília”, planeja o prefeito. Para isso, o Exército gastará cerca de R$ 300 mil.

Burle Marx foi o paisagista que descobriu a riqueza da flora nativa. Amante da natureza, chegou a catalogar 46 novas plantas e emprestou seu nome para várias espécies. Quando criou o projeto da Praça Cívica, Roberto Burle Marx incluiu 53 tipos de plantas tropicais. Muitas delas morreram ao longo dos anos. Agora, com o apoio da Terracap, o prefeito militar quer trazer mudas das mesmas espécies. “Vamos ter até vitória-régia”, promete o coronel Santos Guerra.

Empresas particulares de hidráulica, energia elétrica e jardinagem estão colaborando com a recuperação. Doze postes de iluminação pública já estão ligados, o que vai permitir passeios noturnos. “A praça era insegura à noite. E, de dia, não era visitada por falta de atrativos. Estamos devolvendo para uso da população”, afirma o prefeito militar.

Os espelhos d’água vão receber 20 milhões de litros de água do poço artesiano. Isso vai garantir que a evaporação diária, de quatro centímetros, não volte a secar os pequenos lagos espalhados em toda a praça. “A área está mais úmida, aqui será um lugar agradável para as pessoas passearem”, afirma o prefeito. Ele conta, no entanto, que não haverá bancos para os visitantes se sentarem porque não estava previsto no projeto original.

Chácara
Adão Ferreto e a mulher, Neli, levam cadeiras e se reúnem embaixo das mangueiras da Praça dos Cristais para tomar chimarrão com o amigo João Ramão Soares e a mulher, todo fim de tarde. Militar reformado, Adão encontrou no local a mesma tranqüilidade de sua casa, em Carazinho, no interior do Rio Grande do Sul. “Isso aqui é a nossa chácara”, afirma, enquanto serve o mate para Neli, que gosta de caminhar na praça pela manhã e volta ao fim da tarde para encontrar o grupo.

Eles não são os únicos atraídos pela calma da praça, que entardece com o canto dos pássaros. Segundo o coronel Santos Guerra, muitas aves estão de volta desde que as plantas começaram a ser recuperadas. “Até garças já apareceram”, afirma.

Marlene Ferreira sai da Asa Norte com seu cachorro, nos fins de tarde, para caminhar entre os espelhos d’água. “Faço uma terapia aqui. Sinto falta de água em Brasília, morei muitos anos no Nordeste, onde havia praias”, explica a dona do Bacana.

Ela considera a praça um espaço privilegiado, onde é possível ter contato com a natureza fora do perímetro urbano da cidade. “A gente sente a umidade e aproveita o verde enquanto faz caminhadas”, diz Marlene.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade