Cidades

Traficante de crack é preso no Varjão com usuários dos lagos Sul e Norte

;

postado em 01/09/2008 08:24
Um traficante de crack que distribuía a droga principalmente no Lago Norte e no Plano Piloto foi preso pela Divisão de Operações Especiais (DOE) da Polícia Civil, na noite de sábado. O homem, que já tem passagem pela polícia pelo mesmo crime, não resistiu quando os agentes invadiram sua residência no Varjão. Três usuários foram presos, entre eles um médico. A venda e o consumo da substância têm crescido no Distrito Federal. A prisão de Adailton Santos Gonçalves, 29 anos, ocorreu no conjunto C da Quadra 11 do Varjão, um local afastado do centro da cidade. Os agentes da DOE, que investigavam o traficante há cerca de um mês, ficaram de campana nas proximidades da residência das 15h às 22h de sábado, quando decidiram invadir o local. A essa altura três pessoas que haviam comprado a droga já estavam em poder da polícia. Os usuários são moradores da Asa Norte e do Lago Sul. ;O Varjão é uma região sensível, difícil de atuar e perigosa mesmo para nós. Nos preocupa, sobretudo, a segurança desses usuários;, avalia o delegado coordenador da DOE, Marcelo Fernandes. ;Isso sem falar no poder destruidor da droga;, completa. A divisão ainda não fechou o balanço da quantidade exata da droga que foi apreendida, mas divulgou que foram seis porções prontas para a venda, duas pedras maiores, das quais eram raspadas essas porções e alguns restos. Cada grama de crack rende, em média, quatro porções. Cada uma é vendida por valores que variam de R$ 10 a R$ 20. Cerca de R$ 500 em notas de pequeno valor também foram encontrados na residência, que é protegida por câmeras de segurança. Adailton está preso na 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte) e deve ser transferido, ainda hoje, para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE). Ele vai responder pelo crime de tráfico de drogas, que prevê pena de cinco a 15 anos de reclusão. As apreensões de crack em Brasília começaram em 2006, quando a Polícia Civil encontrou 3 gramas da droga com traficantes. No ano seguinte, o número pulou para 563 gramas, quantidade já superada no primeiro quadrimestre de 2008, quando foram apreendidas 668 gramas. O tráfico está concentrado no centro da cidade, na região da Rodoviária do Plano Piloto e do Conic. ;É motivo de preocupação a entrada rápida dessa droga na classe média;, afirma o coordenador da DOE. Antes relacionado a moradores de rua, o crack tem conquistado um novo e promissor mercado. São comuns nos inquéritos relacionados a esse tipo de droga os casos de usuários que vendem todos os bens, inclusive carros e imóveis, para sustentar o vício. Em 10 de julho deste ano um morador da Asa Norte, de 25 anos, foi morto a pauladas e tiros por traficantes por causa a uma dívida de crack de R$ 1.100. Ele estava viciado na substância e continuava freqüentando uma boca-de-fumo na altura da 912 Norte, apesar das ameaças dos bandidos. O corpo foi encontrado apenas em 7 de agosto, em um matagal próximo ao Setor Militar Urbano. Foi a primeira execução vinculada ao tráfico de crack registrada no Plano Piloto. O crack é um subproduto da cocaína com grande poder viciante. O usuário inala a fumaça das pedras em chamas através de um cachimbo ou canudo (veja arte). A sensação de euforia e poder chega ao cérebro em segundos, mas o corpo pede mais desde a primeira experiência.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação