Publicidade

Correio Braziliense

Meninas em cárcere privado na Estrutural

Agentes da 8ª DP encontram criança de 10 anos e uma adolescente de 14 mantidas presas num barraco da Quadra 12 da Estrutural. Dois homens suspeitos foram detidos


postado em 18/09/2008 08:24 / atualizado em 18/09/2008 08:27

Dois homens foram presos ontem na Estrutural acusados de manter duas crianças em cárcere privado. As vítimas são meninas e têm 10 e 14 anos. Ambas estavam num barraco situado na Quadra 12, de propriedade de um dos acusados. A mais nova foi encontrada sozinha dentro de um quarto nos fundos do imóvel, com a porta trancada com correntes e cadeado. Foi o choro dela que chamou a atenção dos policiais. Os agentes vasculhavam a cidade atrás de uma pick-up Montana. O veículo havia sido roubado de um servidor público que realizava obras de saneamento no local. Ao ouvirem o choro da menina, os policiais da 8ª Delegacia de Polícia, do Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA), resolveram investigar. Na porta do lote, situado no Conjunto D, havia um homem que lavava um carro. Ele tentou despistar a polícia, dizendo que era comum a criança chorar. Mas a explicação não convenceu. Desconfiados, os agentes invadiram o barraco de madeira. Lá, viram um homem sentado na sala de televisão. As paredes estavam repletas de páginas de revistas pornográficas, o que aumentou ainda mais as suspeitas dos policiais. Ele foi preso imediatamente. No quarto contíguo ao cômodo, estava a menina mais velha com outro homem. Os policiais encontraram os dois sentados na cama, vestidos. Pelo menos naquele momento, não havia indícios de que tiveram relações sexuais. O choro, porém, não cessava. O som estridente vinha dos fundos do imóvel. Mais especificamente de uma porta fechada com correntes e cadeado. Encolhida no canto, estava a mais nova das vítimas. A garota de 10 anos mostrou-se bastante assustada quando foi encontrada. Com informações obtidas com a criança, os policiais chegaram à mãe da menina. Levada para a 8ª Delegacia de Polícia, no Setor de Indústria e Abastecimento, ela disse que trabalhava como catadora no Lixão da Estrutural e deixava a menina sozinha em casa. “A gente vai investigar para saber se houve alguma conivência da família com os criminosos”, disse a delegada-chefe da 8ª DP, Deborah Menezes. As duas vítimas foram encaminhadas para o Insituto Médico Legal (IML) ontem à noite para exame de corpo de delito. O laudo indicará se elas foram molestadas. Caso se confirme a suspeita, serão coletadas amostras nos corpos delas para saber quando houve a conjunção carnal. A polícia espera que o resultado seja entregue às autoridades num prazo de 15 dias. O dono do barraco na Quadra 12 é um jovem de 19 anos. Ele foi preso em flagrante. O comparsa do acusado tem a mesma idade. Os dois não têm passagem pela polícia. Por enquanto, foram indiciados por cárcere privado e corrupção de menor. A pena para o primeiro crime varia de um a três anos. Já o segundo pode render de um a quatro anos de prisão. “Somente os retratos de mulheres nuas em posições sugestivas na parede já são o suficiente para comprovar o ato de pedofilia. Falta apenas o exame do IML para fundamentar nossas suspeitas”, explica a delegada Deborah Menezes. Voyage Outro homem também acabou preso na mesma ação. Ao analisar os documentos do Voyage (JEC 2550-DF) que um rapaz de 23 anos lavava na porta do lote onde as crianças foram encontradas, a polícia descobriu que o automóvel era roubado. O jovem contou que não sabia nada a respeito da prática criminosa cometida pelos outros dois. Mesmo assim, será investigado pela polícia sobre uma possível relação com os outros. Ele confessou que pretendia fugir com o veículo ontem mesmo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade