Publicidade

Correio Braziliense

Réveillon na Esplanada tem público recorde

 


postado em 02/01/2009 08:57 / atualizado em 02/01/2009 08:59

Segundo cálculos da PM, 450 mil pessoas prestigiaram as 10 horas de shows de diversos estilos musicais. Palco giratório evitou atrasos A chegada de 2009 marcou o gosto dos brasilienses por passar o réveillon na cidade. Com a trégua da chuva, o público compareceu em massa à Esplanada dos Ministérios. Segundo a Polícia Militar, cerca de 450 mil pessoas prestigiaram a maior festa da virada no Distrito Federal, 50 mil a mais do que o esperado pela Brasiliatur. O destaque ficou por conta da tradicional queima de fogos, que coloriu o céu por 21 minutos na noite de quarta-feira. Na Praça dos Orixás e na Prainha, ao lado da Ponte Costa e Silva, no Lago Sul, 8 mil adeptos e simpatizantes das religiões afrobrasileiras reverenciaram a rainha do mar, na Festa de Yemanjá 2008. Shows e festas para todos os gostos embalaram a madrugada do 1º de janeiro nos clubes da cidade. O evento na Esplanada contou com atrações para todas as idades, da clássica dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó ao fenômeno adolescente NX Zero. Mas o clima de paz em que milhares de pessoas, das mais diversas classes sociais, celebraram a virada do ano roubou a cena. A harmonia reinou entre os brasilienses que festejaram das 17h às 2h. Entre as poucas ocorrências registradas pela PM — que levou um efetivo de 1,1 mil militares ao local — a maioria dizia respeito a furtos de objetos pessoais. Outro ponto alto da celebração foi o palco giratório, uma inovação que permitiu a sequência dos shows, sem o tradicional tempo de espera para a montagem dos equipamentos. Na Prainha, apesar de o número de presentes não ter alcançado a metade do esperado pela organização - 30 mil -, a festa não deixou a desejar. No réveillon dos orixás, a beleza dos rituais de fé do candomblé e da umbanda e a queima de fogos encheram os olhos dos presentes. À meia-noite, a multidão se reuniu na beira do Lago Paranoá para as tradicionais oferendas a Yemanjá. Pela primeira vez, porém, a celebração não contou com as imagens dos 16 orixás esculpidas pelo artista Tatti Moreno. Vítimas da intolerância religiosa e da lentidão do governo, as estátuas depredadas continuam em Salvador (BA), onde deveriam ter sido restauradas. Nas badaladas festas pagas da capital do país, os destaques foram os shows da banda Moinho, da bela e talentosa vocalista Emanuelle Araújo, que levou 3 mil pessoas ao Brasília Alvorada Hotel, e da dupla sertaneja sensação do momento: os goianos Jorge e Mateus, que embalaram um público de 4 mil festeiros no réveillon Nossa Praia, no Pontão do Lago Sul. Em ambos os eventos, que também brindaram os presentes com queima de fogos, a noite acabou na pista de dança, ao som de DJs nacionais e internacionais que tocaram o melhor da música eletrônica. Como nas festas populares, mais uma vez, a paz falou mais alto na entrada do novo ano dos brasilienses que optaram pela noite nos clubes. COLABOROU IRLAM ROCHA LIMA

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade