Publicidade

Correio Braziliense

Vestibulandos devem aproveitar feriado para relaxar

Especialistas aconselham estudantes a pegarem leve nos estudos às vésperas do exame, que ocorrerá no fim de semana. Mais de 24 mil candidatos disputarão as vagas


postado em 11/06/2009 08:34 / atualizado em 11/06/2009 08:40

A dois dias de prestar o vestibular da Universidade de Brasília (UnB) pela segunda vez, a estudante Maíra Alves Lacerda da Silveira, 18 anos, não consegue relaxar. “Só vou deixar de frequentar as aulas do cursinho na sexta-feira (amanhã), e apenas porque meus pais pediram”, confessa a candidata ao curso de engenharia civil. Assim como a maioria de seus colegas, Maíra não se vê no direito de dar um tempo nos estudos antes da prova. Mas continuar estudando na mesma intensidade pode prejudicar o vestibulando, alertam especialistas. Para a psicóloga Silvia Badra, que trabalha há cinco anos com alunos de pré-vestibular, o feriado de Corpus Christi veio bem a calhar. “Antes da prova, é preciso um distanciamento da matéria, inclusive para os estudantes poderem reconhecer aquilo que sabem ou não”, explica. Segundo Badra, a poucos dias da prova, o aluno não tem condição de aprender algo novo. “O que ele pode fazer é dar uma revisada no conteúdo, para sedimentar o que já aprendeu”, completa. Neste semestre, a UnB oferece 3.280 vagas (552 a mais do que no último exame), que serão disputadas por 24.024 candidatos. A alta concorrência (a mais alta é a do curso de medicina, com 80,1 candidatos por vaga) preocupa os aspirantes a uma das vagas oferecidas pela universidade e cria uma cobrança muito grande por parte do próprio candidato e de sua família. “Prefiro manter a mesma rotina nestes últimos dias”, diz a estudante Cláudia Natália de Paiva Lameira, 21 anos, que tenta ser aprovada no curso de medicina há três anos. Cláudia chegou a passar para o curso de nutrição logo que deixou o colégio, mas decidiu largá-lo e perseguir o sonho de ser médica. Para ela, ficar em casa, mesmo nos últimos dias, não é produtivo. O professor Cristovão Medeiros Rezende, coordenador de química do pré-vestibular Dínatos, também não aconselha os vestibulandos a ficarem em casa, mas por outro motivo. “Os familiares são torcedores”, explica Rezende. Segundo o professor, a família acaba, de maneira indireta, cobrando dos vestibulandos uma certa postura mediante o grau de importância da prova. “Se o estudante revolver ficar em casa e tirar um cochilo, os pais podem achar que ele está desmotivado”, complementa. O mais importante para o professor é que o aluno não valorize o que não estudou, mas o que aprendeu. “Até em cursos mais concorridos, como medicina e direito, é possível ingressar dominando de 70% a 80% do conteúdo”, garante. Descontração A dificuldade dos vestibulandos para sublimar o compromisso do fim de semana por alguns dias é tão grande que os cursinhos de pré-vestibular passaram a criar estratégias de relaxamento. “Costumamos realizar uma grande apresentação a que os professores comparecem fantasiados, porque os estudantes desaprendem a se divertir”, conta Rezende. No pré-vestibular Alub, também tem festa. Os professores se fantasiam de super-heróis e dão dicas sobre a matéria das provas. “Muitos alunos já disseram que o conteúdo dessas dicas caiu nos exames”, diz a professora Jurema de Oliveira Benjamin, coordenadora de pré-vestibular do Alub. Diretor pedagógico do Galois Pré-vestibular, Marcello Lasneaux considera que os alunos precisam ter autocrítica nestes últimos dias. “Se eles estiverem cansados, é hora de diminuir o ritmo. O mais importante é chegar inteiro na prova”, diz. Lasneaux lembra que o exame da UnB é muito cansativo e avisa que um aluno desgastado pode ter mais dificuldade para resolvê-lo. O estudante Lucas dos Santos Althoff, 18 anos, pretende seguir a dica. “Nestes dois últimos dias, vou descansar em casa, mas continuo lendo meus resumos”, conta. O candidato ao curso de engenharia elétrica tenta o vestibular pela terceira vez e costuma reservar a última semana para revisar a matéria. “Aconselhamos os alunos a baixar um pouco o ritmo”, admite George Wesley Gonçalves, coordenador pedagógico do pré-vestibular Pódion. “Mas assistir às aulas de véspera mantém o conteúdo fresco”, completa. No segundo vestibular do ano, o tempo é ainda mais exíguo. O resultado do primeiro exame de 2009 só saiu em fevereiro, o que significa que quem não passou só recomeçou a estudar em março, depois do carnaval. “São apenas três meses para dar uma matéria de três anos. É preciso relaxar antes da prova, mas não há muita margem para isso”, lamenta Ismael Xavier, diretor do Pódion. SAIBA MAIS Data das provas .13 e 14 de junho Horário . As provas terão início às 13h e duração de cinco horas. . O Cespe pede que os candidatos cheguem ao local do exame com uma hora de antecedência O que levar . Documento de identidade original . Comprovante de inscrição . Caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente O que não se pode levar . Aparelhos eletrônicos (celular, laptop, máquina fotográfica, etc.) relógio, óculos escuros, boné, gorro, lápis, lapiseira e borracha Calendário Gabaritos oficiais preliminares — 17 de junho Resultado da primeira chamada — 9 de julho Registro de calouros da 1ª chamada — 13 e 14 de julho Resultado da 2ª chamada — 17 de julho Registro de calouros da 2ª chamada — 22 de julho Vagas O número total de vagas neste vestibular aumentou para 3.280 — 552 a mais do que no último exame. Do total, 652 são reservadas para o sistema de cotas. O aumento no número de vagas é consequência da criação de nove cursos, como ciências ambientais e engenharia de computação, que recebem alunos pela primeira vez no próximo semestre. Agora, os vestibulandos podem optar por 80 cursos na UnB. Locais de prova A aplicação será feita em 11 cidades: Brasília, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Planaltina, Sobradinho, Taguatinga, todas do DF, Formosa, Goiânia, Valparaíso, as três em Goiás, e Uberlândia (MG). Os locais de prova em cada cidade são definidos por ordem alfabética e podem ser conferidos no site do Cespe (www.cespe.unb.br/vestibular/2vest2009).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade