Publicidade

Correio Braziliense

Outubro é o mês da cidade do Gama


postado em 02/10/2009 08:45 / atualizado em 02/10/2009 08:55

Os primeiros 50 moradores do Gama terão uma noite especial hoje, a partir das 19h, no Country Club(1). Eles serão as estrelas de uma festa organizada em homenagem às pessoas que chegaram à cidade quando ela ainda não tinha comércio, hospitais, escolas e muito menos opções de diversão para a comunidade. Mesmo assim, acreditaram no potencial de desenvolvimento da região e fizeram a cidade crescer. Os pioneiros apostaram na possibilidade de escrever a própria história de vida perante aquele lugar tomado pela terra vermelha, mas cheio de esperança. Foi graças ao esforço dos primeiros habitantes a chegar que a cidade mudou para melhor e, este mês, completa 49 anos. A programação de festas da administração regional vai oferecer ainda música e feiras, entre outras atividades, a partir de hoje (ver programação completa).

Entre os homenageados está a primeira professora da cidade, Ilda Pimenta do Carmo, 68 anos. Ela viu grande parte das crianças do Gama darem os primeiros passos, virarem adolescentes, adultas e até idosas. “Eu organizei as matrículas na Escola Classe do Gama, o colégio pioneiro na nossa região. Quando as aulas começaram, não teve inauguração nem nada. Já começamos trabalhando duro”, conta. Histórias interessantes dos velhos tempos da cidade não faltam.

A professora Luzinete Cadete, 73 anos, é irmã do primeiro médico do lugar. Ela veio ao DF visitá-lo, em 1961, e se apaixonou pelo Gama. O irmão foi embora, mas Luzinete ficou. “Como não tinha hospital, às vezes faziam partos dentro da minha casa. O Gama era igualzinho a uma cidade de interior”, lembra-se. Luzinete trabalhou pela educação ao lado de dona Ilda, desde o começo. “Me lembro que o vento carregava as telhas da escola. Faltavam professores porque todo mundo achava o Gama muito longe. Eu fui pessoalmente até o administrador da época e pedi que ele desse lotes para os professores ficarem. Ele me atendeu e tudo começou a melhorar”, relata, completando: “O maior prazer de um educador é rever seus alunos. Quando vejo meus ex-discípulos com cabelos brancos e rugas, me surpreendo com passagem do tempo”.

Verde e branco

Outro homenageado dessa noite de festa será o aposentado Antônio Teles, 74 anos, mais conhecido na região como Zé do Gás, porque vendia esse produto. Como se não bastasse amar a cidade e morar nela desde a época da construção de Brasília, Zé do Gás adotou o Sociedade Esportiva do Gama como time de futebol do coração. Ele é o torcedor número um, com direito a carteirinha de registro, documento que exibe com orgulho. “Eu fui o primeiro torcedor e o mais apaixonado de todos”, garante. As cores verde e branca têm significado especial para Zé do Gás. A bicicleta dele é pintada nesses tons e as roupas preferidas não podem ser de outra cor.

Para provar a devoção, Zé do Gás relembra o dia em que vendeu uma panela de pressão da esposa para pagar a entrada em um jogo do Gama contra o Goiás, no Bezerrão, em 2000. O bilhete custava apenas R$ 1, mas as vendas de gás não andavam bem. Eram tempos de vacas magras para seu Zé do Gás. “Esperei minha esposa ir ao banheiro, peguei a panela e saí correndo para vender em um ferro velho. Consegui R$ 6 por ela. Paguei o ingresso e ainda fiz a festa comendo pipoca e chupando picolé. No outro dia, ainda tinha dinheiro no bolso e a satisfação de ver meu time ganhar de 1 x 0”, relata Zé do Gás.

Lembranças
Muitos dos pioneiros do Gama se orgulham de ter conhecido o então presidente Juscelino Kubitschek. Além de Zé do Gás, José Batista, 65 anos, adora contar histórias sobre o idealizador de Brasília. “Ele nos chamava de candangos de obra. Não gostava de dizer que alguém era um peão. Lembro dele passar pela W3 Sul, que eu ajudei a construir, e acenar de cima de um jipe”, relata Zé. Batista nunca se esqueceu do dia em que serviu como garçom ao presidente e à esposa dele, Sara Kubitschek, em um hotel de Brasília. “Depois do jantar, JK me perguntou onde tinha um lugar bom para dançar e eu indiquei a boate do hotel. Eles se divertiram até as 5h”, lembra-se Batista, que hoje é dono de um restaurante, um dos primeiros do Gama. “Hoje, sirvo as famílias do Gama como um dia atendi o presidente da República”, compara Batista.

A população do Gama atualmente é estimada em 170 mil habitantes. Com o aumento demográfico, surgiram também problemas como a violência. Mas o famoso ditado que diz “quem ama mora no Gama” ainda é bordão popular entre a comunidade. Entre os pioneiros, viver no Gama é um orgulho unânime. Que o confirme Antônio Rodrigues da Silva, 75 anos, que veio de Teresina (PI) para o Gama em 1964 e nunca mais saiu: “Minha paz está no Gama. Aqui pude construir meus negócios e prosperar, mesmo tendo começado com pouco dinheiro. Hoje, com a minha renda, eu poderia ter escolhido o Plano Piloto ou qualquer outra cidade para morar, mas quis ficar aqui”. E o pioneiro Antônio Gomes, 71 anos, define qual é o maior patrimônio da cidade: o povo gamense. “Tenho orgulho da minha comunidade. No Gama, a maioria das pessoas é do bem e ama muito a cidade. Isso não tem preço”, finaliza. Outros 50 pioneiros devem receber a homenagem no próximo ano.

1- Ontem, uma fazenda
O Country Club foi o local escolhido pela vice-governadoria do DF, que organizou a homenagem, porque ali ficava a Fazenda Gama, o primeiro abrigo de Juscelino Kubitschek na região onde Brasília seria construída. Na década de 1950, essas terras foram desapropriadas pela Comissão Para a Mudança da Capital e entregues ao governo.

O número

170 mil
É o número de habitantes do Gama

Depoimentos


“A maior dificuldade era encontrar professores dispostos a trabalhar no Gama. Hoje, quando vejo meus ex-alunos trabalhando como juízes e grandes empresários, penso que tudo valeu a pena. Cheguei à cidade em 1960 e nunca mais fui embora. Tive chances de me mudar, mas não quis de jeito nenhum. Quando eu ando pela rua, vejo a história viva da minha cidade que eu ajudei a construir” Ilda Pimenta do Carmo, 68 anos, a primeira professora do Gama.

 

 

 

 

 

“O Gama me deu a oportunidade de crescer e abrir meu próprio negócio. Aprendi o que sei no Plano Piloto e trouxe para o Gama um restaurante com a mesma qualidade dos do centro de Brasília, para servir às famílias e às pessoas de bem. Esta noite sou um dos homenageados e fiz questão de ser responsável pelo buffet. É um orgulho imenso” José Batista, 65 anos, dono de um dos primeiros restaurantes da cidade.

 

 

 

 

 

“Gosto do Gama porque cheguei aqui sem nada e muita gente me acolheu. Nunca passei um dia de fome e nem me faltou abrigo na época de doenças. Trabalhei na construção da avenida W3 Sul. Tive de abandonar o emprego por causa de um acidente. Feri gravemente meu pé e passei a precisar de muletas. Mesmo sem ter família no Gama, encontrei ajuda e solidariedade. E assim sobrevivi com dignidade. Por isso e muito mais, eu torço pelo time da cidade que me acolheu com carinho”
Antônio Teles, o Zé do Gás, 74 anos, o primeiro torcedor do Gama.

 

 

 

 

Programação

Hoje

Tarde cultural na Biblioteca Pública do Gama, das 13h às 18h.

Local: Biblioteca Pública do Gama

Tenda de leitura, teatro, apresentação de artistas e pintura de rosto, entre outros.

Festa da Padroeira Nossa Senhora Aparecida

Dias: Amanhã a dia 12

Local: Espaço da Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Todos os dias haverá oração da novena, a partir das 19h e barraquinhas com comidas variadas.

Copa de Futsal Feminino Euzébio Pires

Dias: 3, 10, 17, 24 e 31, às 14h

GP Gama Fórmula 400 de Kart

Dias: 10 e 11

Local: Área do Pró-DF, na entrada do Gama.

FestGama

Local: Estacionamento do Bezerrão

Dia 9

Show Gospel

Dia 10

Leonardo

Dia 11

Jhonny e Rhaonny e Mitiê do Brasil

Dia 12

Milionário e José Rico

ExpoGama

Dias: 9 a 12

Local: Entre o Fórum e o Corpo de Bombeiros

Atrações: rodeio, exposições de animais, feira de artesanato e produtos da roça, apresentações teatrais e de catira, roda de viola, torneio leiteiro e shows de Zé Mulato e Cassiano e artistas locais, entre outras atrações.

3ª Cavalgada

Desfile Cívico Militar, às 9h.

Local: Avenida Wagner Piau – em frente à 14ª DP.

Projeto a gente que faz!

Às 9h. Conscientização ambiental e arrastão ecológico. Uma parceria da Vigilância Ambiental em Saúde, Agentes Comunitários de Saúde, com participação da Guarda Nacional e da Administração Regional do Gama.

Local: Três Coqueiros – próximo ao Clube Tropical, Setor Oeste.

Baile da Cidade

Dia: 17, às 22h

Local: Colégio Compact

Atrações: Cantor Geraldo Azevedo

DVO Fest

Dia: 17, às 20h

Local: Campo do DVO

Barraquinhas e shows de artistas locais

Dia: 18

7ª Corrida de Rua do Gama

Local: Saída e chegada na Administração Regional do Gama

Dias: 23 e 24, às 20h

25º Festival de Música Popular do Gama – FMPG

Dia 25, às 17h

Banda Raimundos, Plebe Rude e Paulinho Pedra Azul.

Local: Anfiteatro do Complexo Bezerrão

Dia: 31 de Outubro, às16h

Deus é Gamado

Local: Estacionamento da Paróquia Imaculada Conceição

Abertura com a banda Maranatha, pregações, participação de bandas locais e encerramento com a banda Dominus, às 23h.

5º Duelo de Bandas

Dez bandas de rock de todo o DF se apresentarão, para serem avaliadas por uma comissão julgadora. Premiação para os três primeiro colocados. E apresentação de quatro bandas convidadas.

Local: Anfiteatro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade