Publicidade

Correio Braziliense IGREJINHA ILUMINADA

Inovação em forma de luzes natalinas


postado em 19/12/2009 07:00 / atualizado em 19/12/2009 13:22

A iluminação da Igreja deve ficar até janeiro e voltar nos próximos anos (foto: Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press )
A iluminação da Igreja deve ficar até janeiro e voltar nos próximos anos (foto: Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press )
Pela primeira vez em 51 anos de existência, a igreja Nossa Senhora de Fátima(1), a Igrejinha, na 307/308 Sul, recebeu decoração natalina. As luzes foram instaladas na noite de ontem. A novidade é resultado da parceria entre as prefeituras das quadras 108, 308, 107 e 307 e a Administração Regional de Brasília. O governo investiu R$ 2 mil na compra de 6.500 lâmpadas. As luzes cobrem a cruz no topo da edificação projetada por Oscar Niemeyer e a parte de cima das laterais das paredes cobertas por azulejos de Athos Bulcão. A chuva por pouco não adiou a inauguração. Mas, por volta das 21h, o trabalho pôde ser concluído.

A visual deve permanecer até janeiro. “Um monumento importante como este não podia ficar fora da decoração de fim de ano. Ainda mais pelo conteúdo religioso que representa, afinal, essas são as luzes do natal”, afirmou a prefeita da 108 Sul, Solange Madeira. Foi ela quem teve a ideia de fazer a proposta à administração. “Eu e os outros prefeitos nos juntamos e fomos até lá pedir. Ficamos muito felizes pela conquista”, disse.

Na hora de instalar os adornos, um cuidado mais que especial foi necessário. “Como é um local tombado pelo Iphan, tivemos a maior atenção em não fixar pregos. O eletricista usou apenas cola”, explicou Solange. A iniciativa agradou aos frequentadores das missas na Igrejinha. “Isso aqui é um ponto turístico abandonado. Achei ótimo colocarem estas luzes”, opinou a prefeita da 107 Sul, Nancy Barreto, 80 anos. “Não atrapalha em nada e ficou bonito”, acrescentou a moradora da 307 Sul Maria Auxiliadora Lima, 76. A expectativa das prefeituras é trazer de volta a iluminação nos próximos anos.

Moradores aproveitaram a ocasião para pedir mais policiamento e iluminação pública no local. “Depois que depredaram a Igrejinha com o incêndio em janeiro, o governo prometeu colocar um policial aqui, mas nunca vi”, garantiu Nancy. “Além disso, os moradores de rua usam o espaço debaixo da marquise para dormir. À noite, fazem fogueiras que podem estragar os azulejos”, preocupa-se Ana Maria Machado, 66, moradora da 308 Sul. A Administração de Brasília informou que tem trabalhado junto à Secretaria de Desenvolvimento Social para levar os moradores de rua a um albergue.

Pioneira
A Igrejinha foi o primeiro templo de alvenaria construído em Brasília e o primeiro espaço religioso em setor residencial. Durante 100 dias, operários construíram o templo. A inauguração ocorreu em 28 de junho de 1958.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade