Publicidade

CONJUNTURA

Indústria está confiante para 2010

Impulsionado pelo cinquentenário de Brasília e por investimentos em tecnologia e construção civil, setor projeta crescimento de 7,5%


postado em 23/12/2009 09:15 / atualizado em 23/12/2009 10:29

Com a esperança de acompanhar o ritmo de crescimento do setor em todo o país, a indústria brasiliense projeta uma expansão de 7,5% para o próximo ano. A meta representa praticamente o dobro dos 4% de crescimento que o segmento espera registrar em 2009, mas ainda assim ficaria abaixo dos 8,5% alcançados em 2008. Na avaliação da Federação das Indústrias de Brasília (Fibra), vários fatores devem alavancar o setor no ano que vem, entre eles o cinquentenário de Brasília, os investimentos na futura Cidade Digital, a Copa do Mundo de 2014, o Setor Noroeste e as eleições.

A indústria projeta ainda uma elevação de 3,5% no nível de emprego. Além disso, a utilização da capacidade instalada (UCI) das fábricas instaladas no Distrito Federal deve atingir o patamar de 70%. A expectativa de forte crescimento para 2010 se baseia no desempenho registrado pelo setor nos primeiros 10 meses deste ano. A avaliação é do presidente da Fibra, Antônio Rocha. “No ínicio do ano, achávamos que a performance da indústria brasiliense estaria abaixo da que vai se concretizar ao final de dezembro”, ponderou.

Todos os indicadores industriais referentes a outubro, divulgados ontem, foram positivos. No acumulado do ano, somando-se os resultados de todos os meses até outubro, o faturamento cresceu 4,84%, o emprego aumentou em 2,56% e a UCI teve alta de 1,37 ponto percentual, passando de 65,41% para 66,78%. Conforme as previsões da Fibra, a indústria local deve encerrar 2009 com incremento de 2,3% nas vagas de emprego industrial e UCI ao redor de 65%. “Nossa produção industrial inicia, assim, um ciclo de expansão”, completa o economista-chefe da Fibra, Diones Cerqueira.

O patamar de crescimento esperado pela indústria candanga, contudo, ainda pode sofrer alterações. Para Antônio Rocha, a crise política deflagrada pela Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal (PF) pode acabar afetando o resultado do setor em 2010. “Estamos preocupados com a crise política, que deverá ter impacto na nossa indústria. Dessa forma, o crescimento previsto para 2010 pode ser um pouco menor”, afirmou

Baque exterior
Quando o assunto passa a ser exportações, o DF não tem muito o que comemorar. A indústria candanga deve fechar 2009 com um volume total de U$ 130 milhões vendidos a outros países. Segundo Diones Cerqueira, se confirmado, esse resultado apontará uma retração de 30% com relação ao ano anterior. “Mesmo que ruim, esse número é melhor do que esperávamos. Imaginávamos uma queda de 50%”, afirmou.

Como 70% das exportações brasilienses dizem respeito à venda de frangos, esse nicho de mercado será o grande responsável pelo recuo acentuado das vendas externas este ano. O economista lembra que em 2009 países como Japão e Venezuela, os maiores destinos desse tipo de produto, cancelaram muitos pedidos de compra. Depois dessas nações, o Kuwait e os Emirados Árabes Unidos aparecem como os maiores importadores dessa mercadoria.



"Estamos preocupados com a crise política, que deverá ter impacto na nossa indústria. Dessa forma, o crescimento previsto para 2010 pode ser um pouco menor"
Antônio Rocha, presidente da Fibra

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade