Publicidade

Correio Braziliense FESTA

Pré-carnaval de Brasília começa com sátira à política


postado em 16/01/2010 14:22 / atualizado em 16/01/2010 16:25

(foto: Viola Junior/Esp. CB/D.A Press )
(foto: Viola Junior/Esp. CB/D.A Press )
Para esquentar ainda mais os protestos contra o escândalo do Mensalão do DEM, os blocos tradicionais da cidade deram o primeiro grito de carvanal. O ensaio geral ocorreu neste sábado (16/01), às 13h30, na 302 Norte à tarde e com muita festa. Novamente, os sambas de enredos se referem à política nacional. Dessa vez, os alvos das marchinhas carnavalescas são os protagonistas da Operação Caixa de Pandora.

 

O nome das músicas são auto-explicativos: O Bolsetão da Eurides, Champanhe com Panetone e Cainxinha de Pandora. Elas são de autoria de Cicinho Filisteu, Carioca de Acari e José Emídio. Em meio à irreverência, há lugar reservado para homenagear a aniversariante Brasília. "Se o governo liberar a verba para nós, vamos fazer um boneco gigante de Juscelino Kubitscheck", prometeu o presidente do bloco Menino de Ceilândia, Aílton Velez.

 

Veja a letra de algumas da músicas:

 
Bolsetão da Eurides
Por Filisteu e Carioca de Acari

Eurides Brito encheu o bolsetão
Com o dinheiro da corrupção (BIS)

Mas ela é feia! É muito feia!
Mas ela está com a bolseta cheia! (BIS)

 
Champanhe com Panetone
Por José Emídio

Do Natal ao Carnaval antes que me detone
Só quero champanhe regada com panetone
 
Dinheiro para mim vai sobrar
E eu já sei onde guardar

No bolso, no lenço, na meia ou na cueca
Vou curtindo a onda
No Lago sul em festas


Caixinha de Pandora

Gatinha você é bonita
Muito mais linda
Do que Pandora
Você é a jóia rara
Do meu carnaval
Em você tudo é encantador
Sua boa, seus pés, suas mãos

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade