Cidades

Acusado de integrar esquema de corrupção recorre ao STF para não ser preso ao depor

postado em 18/01/2010 18:41
Acusado de recolher dinheiro com empresas para abastecer o suposto esquema de pagamento de propina a parlamentares e a assessores do governo Distrito Federal, o policial Marcelo Toledo Watson recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não ser preso durante o depoimento que vai prestar amanhã (19) na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. O depoimento está marcado para as 10h.

Toledo foi intimado para prestar depoimento como testemunha, porém, a defesa alega que ele é um dos investigados da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, o que poderia fazer com ele se autoincriminasse.

A defesa pede que Toledo não seja obrigado a firmar termo comprometendo-se a dizer a verdade e que tenha o direito de permanecer calado diante de perguntas que incriminá-lo. Pede ainda que o policial possa comunicar-se com seu advogado durante o depoimento e que não seja detido por desobediência ou falso testemunho.

De acordo com informações divulgadas pelo STF, o ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa, denunciante do esquema, aponta Toledo como responsável pelo recolhimento de dinheiro com as empresas prestadoras de serviço ao governo distrital e também das quantias destinadas ao vice-governador Paulo Octávio.

O presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, pode tomar a decisão ainda hoje (18).

<-- .replace('

','').replace('

','') -->

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação