Publicidade

Correio Braziliense

Documento falso pede suspeição de ministro do STF


postado em 24/02/2010 16:15 / atualizado em 24/02/2010 16:50

O advogado José Gerardo Grossi, advogado do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), negou a autoria de um documento protocolado nesta quarta (24) no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspeição do ministro Marco Aurélio Mello.

Com a assinatura do advogado, a arguição de suspeição sustenta que o ministro Marco Aurélio, relator do pedido de habeas corpus em favor de Arruda, "tem manifestado seu prejulgamento pela mídia, de forma extensiva, declarando o que pensa sobre o processo e esquecendo seus deveres”.

Trata-se, contudo, de uma peça falsa. O Supremo vai encaminhá-la à Polícia Federal para que seja investigada sua autoria. Foi anexado ao documento uma reportagem de um jornal de Santa Catarina em que Marco Aurélio Mello, que negou o habeas corpus a Arruda em 12 de fevereiro, sinaliza que manterá o voto no julgamento do mérito, marcado para esta quinta (25/2), pelo plenário da Corte.

O ministro Marco Aurélio Mello informou que já conversou com o advogado José Gerardo Grossi, que reiterou não ser o autor da arguição de suspeição. "Revela bem a quadra atual brasileira, de abandono de princípios, perda de parâmetros, inversão de valores, de se dar o dito pelo não dito, o certo pelo errado", avaliou o ministro sobre a falsidade do documento apresentado ao Supremo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade