Publicidade

Correio Braziliense MISTÉRIO EM LUZIÂNIA

Delegado descarta envolvimento de policiais em desaparecimentos


postado em 02/03/2010 21:01 / atualizado em 02/03/2010 21:05

O delegado da Polícia Federal responsável pelo acompanhamento da investigação do desaparecimento de jovens em Luziânia (GO), Hellan Wesley Almeida Soares, disse nesta terça-feira (2/3) que não acredita no envolvimento de policiais no crime. "Não acredito nessa versão, mas estamos com todas as linhas de investigação em aberto. A Polícia Federal vai apontar nomes e entregar para a Justiça", sustentou Soares durante audiência pública da CPI do Desaparecimento de Crianças e Adolescentes.

O deputado Geraldo Pudim (PP-RJ) afirmou ter recebido informações de que há policiais envolvidos. Diante desse fato, o parlamentar defende que a polícia de Goiás "perdeu a condição de conduzir a investigação" e sugeriu ao ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, que a PF atue de forma autônoma no caso, em auxílio às investigações da CPI.

Como explicou o ministro, a investigação de desaparecimentos é de competência da Polícia Civil. A PF pode participar apenas quando há indício de crimes federais ou se for solicitada pelo governo estadual. Do contrário, segundo ele, ocorre intervenção na competência do outro ente federado. A pedido do governo goiano a Polícia Federal começou a cooperar com as investigações no dia 19 de fevereiro.

Também para o deputado Domingos Dutra (PT-MA) é importante que o Ministério da Justiça examine juridicamente formas de a PF assumir a investigação. "Não podemos ficar no limite frio da lei e talvez não chegar a uma conclusão do caso", ressaltou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade