Publicidade

Correio Braziliense

Uma tarde de boa música e poesia


postado em 08/05/2010 07:00

Um fim de tarde regado a música clássica, poesia e muita elegância. No 2º Sarau Literário realizado ontem pelo Colégio Ceub, cerca de 100 alunos da 8ª série do ensino fundamental deixaram de lado os shorts e camisetas do uniforme para incorporar o clima do romantismo com vestidos pomposos, ternos, chapéus e luvas à moda do século 19.

A ideia era transportar o que foi aprendido nos livros para fora de sala de aula. Durante dois meses, professores de língua portuguesa, inglesa e espanhola trabalharam com os estudantes os costumes, vocabulário e a sutileza da literatura da época, em comparação com as características dos tempos atuais, para identificarem as diferenças.

Alunos da 8ª série trocaram o uniforme por trajes que remetem à pomposa moda do século 19(foto: Kleber Lima/CB/D.A Press)
Alunos da 8ª série trocaram o uniforme por trajes que remetem à pomposa moda do século 19 (foto: Kleber Lima/CB/D.A Press)


O projeto culminou com um dia para lá de diferente do que a escola estava acostumada. Antes de os alunos recitarem poesias e dramatizarem peças e textos de autores consagrados,

como o inglês William Shakespeare e os brasileiros Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu e Gonçalves Dias, a turma conferiu uma apresentação da Orquestra Sinfônica da Escola de Música de Brasília. “Quando eles vivem o que se aprende em sala, as coisas se tornam mais compreensíveis”, explica a professora Juliana Delpino, de língua portuguesa. Para a diretora Lúcia Maria Lopes de Oliveira, a escola tem a obrigação de oferecer coisas a que os alunos não tenham acesso do lado de fora.

Encanto
“Com atividades assim, a gente se envolve mais e fica mais difícil esquecermos o conteúdo”, observa a estudante Adriely Carvalho, 13 anos. A aluna Júlia Mello, 13, caprichou no visual Sinhá Moça. “Achei bem interessante aprender sobre essa época. É impressionante como a postura era mais elegante, as moças, mais delicadas e os rapazes, mais cavalheiros”, comenta. O que chamou a atenção de Cláudio Henrique Zinato, 13, foi a quantidade de pano nas roupas. “As mulheres cobriam quase tudo. Quando os homens viam o pescoço delas era excitante. Hoje já não é mais assim, perdeu-se o encanto, infelizmente.”

Leia mais sobre educação no site www.correiobraziliense.com.br/euestudante

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade