Publicidade

Correio Braziliense COMÉRCIO

Inadimplência está em queda

Em abril, o índice de calote ficou em 5,1%, um ponto percentual menor do que em março. Para a Câmara de Dirigentes Lojistas, o recuo mostra que a economia local segue normal e a tendência é de mais pessoas fora do SPC


postado em 13/05/2010 12:03

Os arquitetos Thalles e Arnaldo estão no rol dos bons pagadores e evitam gastar além dos limites do orçamento(foto: Bruno Peres/CB/D.A Press )
Os arquitetos Thalles e Arnaldo estão no rol dos bons pagadores e evitam gastar além dos limites do orçamento (foto: Bruno Peres/CB/D.A Press )
Os lojistas do Distrito Federal comemoraram o movimento de recuo da inadimplência da pessoa física em abril, após três meses de alta sucessiva. O índice, medido pela Câmara de Dirigentes Lojistas do DF (CDL-DF), ficou em 5,1%, contra 5,2% registrado em março último. Com relação a abril do ano passado, quando o indicador cravou 5,3%, também houve queda. Para a entidade, a queda é sazonal, resultado do fim do primeiro trimestre. Trata-se de um período em que dívidas de fim de ano se acumulam aos gastos típicos de janeiro, fevereiro e março e são de difícil quitação.

“O recuo em abril, resultado que já tínhamos previsto, mostra que a economia está seguindo seu curso normal no DF e que as pessoas estão procurando limpar o nome”, afirmou Vicente Estevanato, presidente da CDL-DF. De acordo com ele, a inadimplência de maio deve ficar menor e pode chegar a 4% em junho.

O índice de inadimplência no DF mantém-se em uma linha de estabilidade todos os anos. Oscila entre 4% e 5% , dependendo do mês em que é medido. A CDL-DF, que administra o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), chega ao indicador fazendo um cálculo entre o número de pessoas incluídas no cadastro(1) e a quantidade de consumidores que deixa a lista a cada 30 dias. Em abril, 134.911 moradores do DF tiveram o CPF incluído, e 141.791 limparam seus nomes.

Além de significar menos calote, a inadimplência em baixa anima o comércio porque significa que há mais potenciais compradores com crédito limpo na praça e, portanto, habilitados a contrair novos financiamentos. “Vivemos uma época de muita concessão de crédito, de facilidades para quem compra, e, consciente disso, o próprio consumidor quer resolver com rapidez sua situação no SPC”, afirma Vicente Estevanato.

O presidente da CDL-DF diz ainda que, este ano, o recolhimento tardio de dois tributos característicos do início do ano, o Imposto sobre Veículo Automotivo (IPVA) e o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), contribuíram para que a inadimplência dos primeiros meses do ano ficasse inferior à dos mesmos períodos de comparação em 2009. “No ano passado, em fevereiro o governo já estava cobrando IPVA. Em 2010, tudo ficou para abril, o que foi ótimo e deu fôlego aos consumidores”, declara.

Em janeiro, fevereiro e março de 2009, a inadimplência medida pela CDL ficou em 4,8%; 5,2% e 5,7%, respectivamente. Nos mesmos meses deste ano, ficou, respectivamente, em 4,6%; 4,9% e 5,2%.

Para retirar o nome do SPC, o consumidor deve procurar o credor — loja, financeira ou banco — e negociar ou pagar a dívida. Com o débito quitado ou renegociado, deve procurar o balcão do Serviço de Proteção ao Crédito no Edifício CDL, que fica no Setor Comercial Sul, quadra 6, bloco A.

Bons pagadores
Arquitetos e amigos, Thalles Rezende, 26 anos, e Arnaldo Gawblinski, 34, nunca estiveram no cadastro do SPC e não pretendem entrar. Ambos relatam que sempre foram organizados com relação aos gastos mensais.

“Tenho uma agenda com as minhas contas e tenho a noção exata do que posso gastar. Se quero fazer compras além do meu orçamento, recorro ao cartão de crédito, mas sempre com cuidado”, afirma Thalles. Ele diz, ainda, que já atrasou em alguns dias o pagamento de contas, mas que se preocupa em não deixar passar tempo em excesso, para que seu nome não seja negativado. “Como bom brasileiro, já demorei um pouquinho para pagar”, brinca.

Arnaldo Gawblinski diz que dá preferência a pagamentos à vista e só parcela as maiores, para não se enrolar com prestações acumuladas. “Prestação, só a do meu carro”, afirma.

1 -
Perfil
Segundo perfil traçado pela CDL em abril deste ano, os inadimplentes do Distrito Federal são em sua maioria mulheres, que correspondem a 50,93% dos devedores enquanto os homens são 49,07%. Com relação a faixa etária, o maior número de incluídos no SPC, 26,6%, tem entre 30 e 39 anos. Em seguida vêm os consumidores com idade entre 40 e 49 anos, que são 25,51% e, em terceiro, pessoas de 50 a 64 anos, que correspondem a 18,55% do total. Os maiores de 65 anos são 5.09% do total de endividados. Os jovens de 18 a 24 anos são minoria, representando apenas 4,72% dos devedores.

"No ano passado, em fevereiro o governo já estava cobrando IPVA. Em 2010, tudo ficou para abril, o que foi ótimo e deu fôlego aos consumidores"
Vicente Estevanato, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do DF

O número
141.791

Total de brasilienses que tiraram o nome da lista do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade