Publicidade

Correio Braziliense VAREJO

Lojas apostam no Dia dos Namorados

Pesquisa da Fecomércio revela que a maioria dos empresários espera um crescimento de 7,12% nas vendas em relação a 2009. Apenas o setor de CDs prevê recuo de 3,25%


postado em 20/05/2010 08:28

O universitário Júnior Sabino quer algo romântico que faça jus ao espírito da data
O universitário Júnior Sabino quer algo romântico que faça jus ao espírito da data
A pouco menos de um mês do Dia dos Namorados — 12 de junho —, representantes do comércio do Distrito Federal estão otimistas em relação à data. Levantamento do Instituto Fecomércio divulgado ontem revela que os empresários esperam um aumento de 7,12% nas vendas em relação a 2009. Entre os mais confiantes estão os donos de perfumarias. Para eles, o incremento deve chegar a 15,31%. Desanimadas, as lojas de CDs estimam queda de 3,25%. De acordo com a pesquisa, o brasiliense está disposto a investir na pessoa amada. Para a maioria dos lojistas, a faixa de preço dos presentes deverá ficar acima de R$ 100.

O balanço positivo do comércio do DF nos primeiros três meses deste ano é um dos fatores responsáveis pela otimismo dos lojistas. “Encerramos o trimestre com um índice superior a 4%, em relação ao mesmo período do ano passado. Isso é um sinal de que a economia está em crescimento e o comércio, em ascensão”, avalia o presidente da Federação do Comércio (Fecomércio), Adelmir Santana.

Para 54,7% dos lojistas, o Dia dos Namorados por si só é uma data rentável. Cerca de 13% deles acreditam que o período terá um bom desempenho como o Dia das Mães. Outros 3,1% estimam em um movimento até maior, por acreditar que o poder aquisitivo do consumidor brasiliense aumentou. Pela sondagem do Instituto Fecomércio, o consumidor vai usar principalmente o cartão de crédito para pagar as compras. A segunda opção será o pagamento à vista. Para receber os namorados, a maior parte dos lojistas reforçaram os estoques. Entre as técnicas utilizadas para atrair os clientes, estão campanhas publicitárias, promoções, descontos e facilidades no pagamento, além de brindes, embalagens e atendimento diferenciados.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do DF (CDL-DF), Vicente Estevanato, estima um aumento entre 6,5% a 7,5%. Ele explica que depois do Natal e dos Dias das Mães, é o Dia dos Namorados o que mais movimenta o comércio. “E, neste ano, estamos realmente mais otimistas”. Esse sentimento está associado ao início da Copa do Mundo de Futebol, em 11 de junho. “Acho que os presentes alusivos à Copa terão uma performance (de vendas) muito boa. O verde e amarelo vai impulsionar as vendas”. Porém, para muitos lojistas ouvidos pela Fecomércio, a Copa do Mundo pode refletir negativamente nas vendas.

Presentes
Gabriela pretende gastar R$ 300 para agradar ao namorado(foto: Valério Ayres/Esp.CB/D.A Press )
Gabriela pretende gastar R$ 300 para agradar ao namorado (foto: Valério Ayres/Esp.CB/D.A Press )

A estudante Gabriela Areda, 17 anos, pretende gastar R$ 300 — três vezes mais do que o valor mais alto revelado pela pesquisas — para agradar o namorado, com quem está há 7 meses. O presente será um eletrônico e tem o intuito de atender uma necessidade atual do namorado. “Só não vou contar o que é. É surpresa”, diz a moradora do Riacho Fundo I. Embora saiba o que quer comprar, a jovem ainda está pesquisando preços e modelos. “Acredito que vou deixar para comprar na última semana”, acrescentou.

O universitário Júnior Sabino, 24, resolveu não se render ao consumismo e quer manter o espírito no 12 de junho. “Eu vou comprar um presente sim, mas algo romântico. Não quero dar uma peça de roupa. Tem que ser algo que combine com a data, especial”, disse. Também mantido em segredo, o presente deve vir acompanhado de bombons, flores e outras surpresas, totalizando aproximadamente R$ 100. “Vou comprar em um local próximo à minha casa, onde sei que vou encontrar tudo de uma vez. No dia dos namorados, o que eu quero é impressionar”, afirmou o morador de Ceilândia Norte, que namora há quase um ano.

Sondagem
Expectativas dos lojistas:
» 60,3% acreditam que as vendas irão superar o resultado de 2009
» 29,3% preveem que as vendas serão iguais
» 10,4% estimam queda no faturamento
» Entre os otimistas, o incremento médio esperado é de 7,12%.

Forma de pagamento:
» 89,6% - cartão de crédito
» 4,7% - à vista
» 3,8% - cartão próprio da loja
» 1,9% - cheque pré-datado

Previsão de gastos:
» 39,62% - acima de R$ 100
» 17,92% - entre R$ 86 e R$ 100
» 15,09% - entre R$ 66 e R$ 85
» 12,26% - entre R$ 25 e R$ 45

A pesquisa da Fecomércio ouviu 106 empresários dos segmentos de vestuário, calçados, lojas de departamentos e de CDs, floriculturas, perfumarias e joalherias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade