Publicidade

Correio Braziliense

Lancha é retirada do Lago Paranoá


postado em 25/05/2010 18:09 / atualizado em 25/05/2010 18:15

Após quase três horas de trabalho, a lancha naufragada na madrugada de sábado (22/5), foi retirada do Lago Paranoá pelo Corpo de Bombeiros, por volta das 17h20, desta terça-feira (25/5). A embarcação está no quartel dos bombeiros - localizado próximo à Vila Planalto - e passa por perícia da Polícia Civil.

Durante a vistoria, foi encontrada uma garrafa do licor Amarula dentro da lancha. Ela foi consumida pelos tripulantes da embarcação no sábado, segundo um dos sobreviventes, Marcos Paulo, que acompanha os trabalhos da polícia.

A Capitania dos Portos também vai fazer outra perícia na embarcação. O laudo, que deve determinar os motivos do naufrágio, não tem previsão de quando ficará pronto, mas pode demorar até 30 dias.

Um dos motivos apontados para o naufrágio pode ter sido a superlotação. A embarcação comportava apenas seis pessoas, mas havia onze no momento do acidente. Coletes salva-vidas também não foram usados. Oito pessoas prestaram depoimentos na 9ª Delegacia de Polícia (Lago Norte). Rita de Cássia, irmã das jovens que estavam desaparecidas, deve ser ouvida ainda esta semana.

Acidente

A lancha afundou por volta das 3h30 do último sábado (22/5), entre a QL 15 e a Ponte JK, no Lago Paranoá. A irmã das jovens que estavam desaparecidas, Rita de Cássia Queiroz Lira, 26 anos, sobreviveu ao naufrágio e ficou internada até ontem no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em estado de choque.

Desde o naufrágio, o Corpo de Bombeiros fez buscas no local. A lancha foi encontrada na tarde desta segunda-feira, a 25 metros de profundidade, e a procura pelas jovens continuou até a manhã de hoje, quando foram localizados os corpos das duas irmãs.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade