Publicidade

Correio Braziliense

Policiais civis decidem pela manutenção da greve


postado em 24/06/2010 16:59 / atualizado em 24/06/2010 20:56

Ao contrário do que o presidente em exercício do Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol) disse na manhã desta quinta-feira (24/6), os agentes decidiram pela manutenção da greve. Cerca de 2.500 policiais participaram da assembleia, que começou às 15h em frente do Ministério do Planejamento, na Esplanada dos Ministérios.

O governador do DF, Rogério Rosso, foi à sede do Sinpol esta manhã para pedir que a classe volte às atividades. Rosso alegou que o reajuste proposto pelos policiais deve ser julgado pela Governo Federal. O Ministério do Planejamento, no entanto, adiantou que não haverá outros reajustes este ano.

A categoria se reúne novamente em assembleia no próximo dia 30, quando devem decidir o rumo da greve. Entretanto, o período legal para a paralisação é até o dia 30 de junho. Segundo a legislação eleitoral, servidores públicos só podem ter aumento até 180 dias antes das eleições, o que significa que os percentuais precisam estar definidos e regulamentados até o último dia deste mês.  O governador Rosso deve se reunir com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, no próximo dia 29.

Os policiais civis seguiram em carreata pela Esplanada dos Ministérios e encerraram o ato em frente ao Ministério do Planejamento. Duas faixas foram ocupadas no local. Não há nenhuma manifestação marcada para esta sexta-feira.

Greve
A categoria, em greve desde o dia 19 de junho, pede um aumento total de 33%, divididos em cinco etapas: 5% em setembro de 2010; 7% em março e 7% em setembro de 2011; 7% em março e 7% em setembro de 2012. As delegacias, após a paralisação, passaram a registrar apenas flagrantes e crimes hediondos.

Multa
o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) determinou a volta imediata às atividades sob ameaça de multar a corporação em R$ 100 mil por dia de greve. A categoria recorreu da decisão, mas o desembargador responsável pelo caso negou o pedido, na tarde desta quarta (23/6).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade