Publicidade

Correio Braziliense VIOLÊNCIA

Garoto agredido continua internado


postado em 04/07/2010 08:26 / atualizado em 04/07/2010 09:16

O adolescente de 15 anos espancado na última quinta-feira por um grupo de oito jovens — sendo cinco identificados como sendo do Centro de Ensino Fundamento Caseb, da 909 Sul — passa bem depois de ser submetido a uma cirurgia para retirada de um coágulo no cérebro, resultante das pauladas que recebeu na cabeça. Ele já está na enfermaria do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), onde permanece sem previsão de alta.

A mãe do garoto conta que ele está sonolento, à base de remédios, e dorme a maior parte do tempo. Ainda se alimenta pouco, mas já trocou algumas palavras com ela. “Meu filho diz que se lembra de cada um que fez isso com ele”, conta. Ela ainda diz que identificou um ferimento na mão dele e marcas da agressão nos braços.

O Correio esteve no Hospital de Base ontem, mas não conseguiu falar com nenhum médico que tenha cuidado do garoto. Também ligou várias vezes para a chefia de plantão, sem nenhum retorno até o fechamento desta edição.

Na casa do jovem, em Ceilândia, o primo dele, de 15 anos, que também foi espancado, toma medicamentos para aliviar a dor do ferimento na cabeça. A avó do garoto afirma que ele está muito assustado. “Meu neto diz o tempo todo: ‘Vó, eles poderiam ter matado a gente. Eram muitos e todos com paus nas mãos,” diz a senhora, que também está muito nervosa com a situação. “Não tenho conseguido dormir. Meus netos poderiam ter morrido”, diz a senhora, que garante: “Eles não voltam mais para aquela escola.”

O espancamento ocorreu numa parada de ônibus da 710 Sul, a 300 metros do Caseb. Os dois adolescentes agredidos teriam iniciado uma discussão com os acusados após a prima deles, que também estuda no colégio, dizer que eles a chamaram de um apelido que ela não gosta. As vítimas foram tirar satisfação e acabaram sendo espancadas violentamente. A Delegacia de Criança e do Adolescente (DCA) apura o caso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade