Publicidade

Correio Braziliense

Funcionários terceirizados do Ciago cruzam os braços


postado em 11/09/2010 07:31

Roberta Machado

O Centro de Integração de Adolescentes da Granja das Oliveiras (Ciago) entrou em estado de alerta na manhã de ontem devido à paralisação dos servidores terceirizados responsáveis pela segurança dos jovens da instituição. Dos 52 terceirizados do turno da manhã, apenas 9 concordaram em manter o ritmo de trabalho e acompanhar os cerca de 50 agentes concursados do centro. A direção do Ciago garante que o local não ficou desguarnecido com a falta dos servidores, mas ontem, às 8h, foi registrada uma tentativa de fuga. Os agentes afirmam, ainda, que um jovem teria conseguido escapar e que os internos aproveitam a situação para fazer ameaças e queimar colchões. A princípio, a denúncia não foi confirmada pelo diretor do centro, Claudio Antonio da Silva, mas à noite a assessoria de imprensa da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejus) admitiu a fuga de um interno e a tentativa de escape de outros dois.

O motivo da paralização, segundo os terceirizados, é a falta de vínculo empregatício desde que venceu o contrato entre o centro e a empresa responsável pelo acordo. Eles não recebem salário ou benefícios desde 8 de agosto. “Estamos à deriva no mar e o barco está afundando”, resume Edimar Coelho, funcionário do Ciago há quatro anos. Os nove agentes que continuaram a trabalhar são os únicos que assinaram o contrato necessário para receber o salário referente ao mês de agosto. O documento vale por somente 30 dias, mas pode ser estendido por até mais 180 dias, prazo máximo permitido para que o Ciago conclua a transição entre os atuais agentes e os 169 concursados convocados no último dia 8. O Ciago garante que os salários atrasados serão depositados na segunda-feira (13).

De acordo com o subsecretário da Sejus, Ricardo Batista, os concursados já foram convocados e têm 25 dias para tomar posse, mais cinco dias para iniciar o exercício da função. O processo foi aprovado pelo governador Rogério Rosso em 1º de julho.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade