Publicidade

Correio Braziliense

Assassino de motorista de ônibus é preso

Localizado em uma fazenda, o acusado do crime vai para o DPE. Disse que matou por não ter tido sua fuga do ônibus facilitada


postado em 17/10/2010 08:57

O acusado de disparar contra o motorista de ônibus Elinaldo Ribas Pires, 48 anos, na última terça-feira, no Itapoã, está atrás das grades. A polícia conseguiu localizar José Ricardo França Rocha, 26, na madrugada de ontem, quatro dias depois do disparo. Ele estava foragido em uma fazenda, no Núcleo Rural Sobradinho dos Melos, a 2km do Paranoá, e se alimentava de frutas e de plantas. Foi preso quando saiu do matagal para buscar comida na cidade. Ontem, familiares resolveram doar coração, rins e a córnea direita do motorista, que teve morte cerebral decretada na sexta-feira. O enterro dele está previsto para hoje, no Cemitério Campo da Esperança.

O crime ocorreu à luz do dia, por volta das 13h30, de terça-feira passada. Os dois assaltantes — José Reinaldo e um adolescente de 17 anos, levado para o Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje) — entraram no ônibus da Viação Planeta e se sentaram nos bancos da frente. Nem sequer passaram pela roleta. Minutos depois, na altura do Km 2 da DF-250, ainda no Itapoã, anunciaram o roubo. Levaram R$ 10 do caixa do coletivo e o celular do cobrador, Michel Rodrigues, 27. Mesmo após pegar o dinheiro, os criminosos agrediram motorista e cobrador. Apavorado, Elinaldo teria reduzido a velocidade e seguido em direção ao acostamento.

O assaltante disparou na cabeça do motorista. Em depoimento na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), Reinaldo declarou ter atirado porque o Elinaldo não queria abrir a porta da frente para a fuga. A bala — que atravessou os óculos da vítima e parou no banco — deixou Elinaldo em estado grave por três dias. Ele estava em coma e respirava com a ajuda de aparelhos. Às 18h de sexta-feira, os médicos do Hospital de Base decretaram a morte cerebral dele e familiares resolveram doar os órgãos, que ficarão no banco à espera de um transplante.

A mulher dele, Júlia Cristina da Silva, 23 anos, espera agora reaprender a viver sem o companheiro, a quem dedicava sua vida havia 10 anos. “É uma dor insuportável. Se eu tivesse direito a um pedido, pediria pena de morte para ele (o assassino). Ele jamais vai sentir a dor que estou sentindo. Ele matou meu marido, meu amigo, meu companheiro”, desabafou. “A prisão dele me conforta um pouco. Fico mais tranquila em saber que nós não teremos que conviver com esse assassino solto pelas ruas. É bom saber que ele não vai destruir outras famílias.” Elinaldo era o mantenedor da casa, no Condomínio Del Lago, onde vivia com mulher a as filhas, Maria Eduarda, 4, e Ana Luísa, 3.

Comoção
Na delegacia, Júlia pediu para ficar cara a cara com o acusado. “Eu queria olhar nos olhos dele, entender por que ele fez isso com meu marido”, ressaltou. “Ele tirou o direito das minhas filhas de receberem das mãos do pai o presente pelo Dia das Crianças.” Segundo o delegado-chefe da 6ª DP, Pablo Aguiar Tavares de Paula Gomes, Reinaldo admitiu o crime: “Ele é assassino confesso. Disse que precisava de dinheiro para comprar presente para os filhos. E contou que adquiriu a arma no Pedregal (GO)”. Ainda de acordo com o delegado, Reinaldo tem passagens por tentativa de homicídio, roubo e receptação referentes aos anos de 2006, 2007 e 2008. “Ele está detido por causa do mandado de prisão por roubo”, contou.

Amigos e colegas de trabalho de Elinaldo compareceram ontem à 6ª Delegacia de Polícia na intenção de ver o detido. Cobrador de ônibus na região, Leonardo Ferreira Pereira, 38 anos, desejava perguntar ao acusado se houve arrependimento depois do crime. “Quero saber se ele não tem família, se gostaria que destruíssem sua família e se vai conseguir viver sem culpa.” O delegado-chefe atendeu os trabalhadores, mas não permitiu visitas. Reinaldo será levado ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).

MEMÓRIA

10 de julho de 2010
O cobrador de ônibus José Lopes dos Santos, 39 anos, morreu assassinado com três tiros na nuca em Águas Lindas (GO). O crime ocorreu por volta das 6h, em uma parada de ônibus. Ele aguardava uma condução para ir ao trabalho. Policiais militares goianos o encontraram deitado de bruços e com as duas mãos na cabeça. Os bolsos estavam revirados, mas a carteira, os documentos e R$ 18 permaneceram na calça dele. Para a polícia, foi uma execução.

14 de julho de 2009
Um homem matou a tiros o motorista de ônibus Ricardo Henrique Leite, 25 anos, na Quadra 4 do Setor Sul do Gama, em frente a um movimentado comércio. Na ocasião, os companheiros de trabalho protestaram para pedir mais segurança. Duas semanas antes do atentado, a vítima avisara à polícia que havia pessoas armadas frequentando a sua linha. Os policiais, porém, deixaram um dos criminosos fugir. Há suspeitas de que os mesmos bandidos tenham assassinado o trabalhador.

10 de outubro de 2008
O cobrador da Viação Viva Brasília Gaspar Joaquim dos Santos Silva, 38 anos, morreu durante o expediente. Foi assassinado por um homem de aproximadamente 25 anos, que pegou a Linha 501.3, trajeto Eixo Norte e Sul-Sobradinho II, na Rodoviária do Plano Piloto. A polícia confirmou que o cobrador foi vítima de latrocínio — roubo seguido de morte.

2 de junho de 2007
O cobrador Carlos Augusto Pereira da Silva, 23 anos, foi assassinado depois de tentar ajudar um colega que estava sendo assaltado. Morreu depois de passar algumas horas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base. Carlos Augusto estava em um dos veículos que cumprem a rota especial, responsável pelo transporte de motoristas e cobradores para os terminais de várias cidades do DF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade