Publicidade

Estado de Minas

Servidor Público é espancado por segurança de hipermercado


postado em 25/01/2011 17:18 / atualizado em 25/01/2011 21:34

O servidor público Azael Gonçalves foi espancado no último sábado (22/01) no estacionamento do hipermercado Base Atacadista, às margens da Estrada Parque Núcleo Bandeirante. A causa do desentendimento que culminou com a agressão ao senhor de 52 anos teria sido um erro de impressão no panfleto publicitário do estabelecimento.

Servidor público Azael Gonçalves mostra machucados em seu corpo(foto: Luiz Calcagno/CB/D.A Press)
Servidor público Azael Gonçalves mostra machucados em seu corpo (foto: Luiz Calcagno/CB/D.A Press)
Segundo Azael, ele foi ao hipermercado de carona com vizinhos, para comprar fraldas que estariam em promoção a R$7,00. Levou consigo o panfleto publicitário com os preços. Quando chegou ao mercado, as fraldas tinham sido retiradas das prateleiras e no seu lugar estava apenas um cartaz da gerência, pedindo desculpas por um erro de impressão no preço das mesmas. Azael reclamou com o gerente e exigiu o direito de levar as fraldas pelo preço anunciado. Como resposta, o gerente o teria ofendido.

Azael pegou então o cartaz de desculpas para levar à Delegacia de Defesa do Consumidor e neste momento foi atacado com uma gravata por Teodoro Luiz da Silva Neto, 46 anos.  De acordo com testemunhas e com a própria vítima, Teodoro Luiz seria segurança do estabelecimento. O servidor público pediu para ser solto, mas o suposto segurança identificou-se como Policial Militar, ameaçou prendê-lo e o algemou. Queria ainda levá-lo para uma pequena sala, mas foi impedido pelo gerente. Tudo isso diante dos caixas do hipermercado. O gerente Gilvane Cassemiro Pereira levou os dois para o estacionamento e pediu que Azael fosse solto.

O servidor público falou que iriam todos para a Delegacia, e disse inclusive que iria algemado. O segurança soltou então uma das algemas, mas não conseguiu soltar a outra, pois foi impedido por Azael. Teodoro então torceu os dedos da vítima com a algema e desferiu chutes, socos e até choques elétricos no senhor de 52 anos.

A viatura da PM chegou ao local e ainda tratou o suposto segurança como vítima. O caso foi registrado na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul). O agressor Teodoro Luiz da Silva Neto vai responder por lesão corporal. O supermercado nega que ele seja funcionário. No entanto, segundo clientes, Teodoro Luiz trabalharia no local há pelo menos seis meses.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade