Publicidade

Estado de Minas

Instrutores e motoristas de autoescolas entram no 5º dia de greve


postado em 16/05/2011 22:40

Os Instrutores e Empregados em Auto e Moto Escolas do Distrito Federal (Sieame-DF) decidiram em assembleia, na noite desta segunda-feira (16/5), continuar com a greve que completará cinco dias nesta terça. A categoria não chegou a nenhum acordo e promete fechar as escolas teóricas caso o Sindicato dos Proprietários de Autoescolas não apresente uma contraproposta que atenda às reivindicações. Como não houve consenso entre a categoria, uma nova reunião deve se repetir na quarta-feira, às 17h.

De acordo com o presidente licenciado do Sieame-DF, Eli de Deus Almeida, a categoria marcou nova assembleia na expectativa de chegar a um acordo até lá. “Na sexta-feira fizemos uma rodada de negociações com o sindicato patronal e depois de tudo negociado, o advogado deles disse que não teria poder para assinar o acordo. Depois disso eles não cumpriram com o prometido, nem retornaram para negociar”, disse Eli. Segundo ele, se na quarta-feira o Sindicato dos Proprietários de Autoescolas não fizer uma nova proposta, os instrutores e motoristas vão fechar as escolas teóricas e paralisar as aulas nas escolinhas de todo o DF. Segundo Eli, são cerca de 20 escolas e mais de sete mil alunos que ficariam prejudicados com a greve.

Na sexta-feira os instrutores e motoristas de autoescolas cancelaram as aulas e exames programados para o fim de semana para pedir melhores salários e menor jornada de trabalho. A categoria pede a regularização do salário de R$ 669 mais comissão por aula para, o que dá em torno de R$ 1.500 por mês, por um vencimento fixo de R$ 1.500. Eles também reivindicam ticket refeição de R$12 e a redução da jornada de trabalho para 8h diárias. Segundo o Sindicato, os motorista trabalham em torno de 12h por dia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade