Publicidade

Estado de Minas

Intervenção no trânsito para a Embaixada dos EUA causa transtornos


postado em 28/10/2011 07:00 / atualizado em 28/10/2011 07:04

A Embaixada dos Estados Unidos fechou a pista entre a L2 e a L4 Sul: motoristas precisam fazer desvio(foto: Edilson rodrigues/CB/D.A.Press)
A Embaixada dos Estados Unidos fechou a pista entre a L2 e a L4 Sul: motoristas precisam fazer desvio (foto: Edilson rodrigues/CB/D.A.Press)


A Embaixada dos Estados Unidos interditou as duas faixas da via entre a representação estrangeira e a de Portugal. A intervenção no trânsito causa transtornos aos motoristas. Desde 23 de setembro, quem deseja trafegar no sentido L4 Sul precisa pegar um desvio e entrar na contramão, tomando uma das faixas antes destinada ao sentido L2 Sul. Para chegar ao acesso da L4, é preciso contornar uma cerca de ferro com barreiras de concreto, instalada pela embaixada. O trecho é recém-construído. Surgiu para amenizar os engarrafamentos da Esplanada dos Ministérios, mas é alvo de alterações (leia Para saber mais).

Placas de sinalização indicam a mão dupla e cobram atenção dos condutores. O Departamento de Trânsito (Detran) afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que a interrupção foi autorizada em setembro e permanecerá assim até 23 de dezembro. Ainda de acordo com o órgão público, a embaixada pediu autorização para interditar a pista por conta de uma reforma. O Detran elaborou um projeto de engenharia para verificar como a mudança seria feita. Informou ainda que esse tipo de autorização é comum. O Palácio do Itamaraty foi o intermediário entre embaixada e GDF, na busca pela permissão.

A intervenção do Ministério das Relações Exteriores termina aí, como informou a assessoria do órgão federal. A Embaixada dos Estados Unidos afirmou que o bloqueio é temporário e listou justificativas. A obra faz parte de um projeto de expansão do setor consular devido à alta demanda de vistos para ir aos EUA.

No fim, as faixas de trânsito serão devolvidas aos motoristas, sem prejuízos. “Vamos construir uma nova entrada especial para quem busca o visto. Recebemos gente de todo o Brasil. Queremos dobrar o número de funcionários nessa área. Este ano, vamos emitir 800 mil vistos. Para 2012, queremos liberar 1 milhão. Para isso, é preciso mudança no espaço físico”, explicou o adido de imprensa da Embaixada dos Estados Unidos, Dean Cheves. A embaixada pretende renovar a permissão para fechar a via, que vence em dezembro, por mais cinco meses. “É o prazo necessário para concluir a obra. Estamos trabalhando o mais rápido possível, é nossa prioridade”, explicou Cheves.

Dificuldades
O fechamento da pista, no entanto, dificulta a vida dos brasilienses, principalmente em horário de pico. “Por um capricho da embaixada, uma parcela da população que precisa trafegar por ali é prejudicada. Com essa mudança, os motoristas são jogados na contramão. Se houver um acidente, quem vai se responsabilizar?”, perguntou o advogado Renato Alvim, 54 anos, morador da Asa Sul. “Não é possível que ninguém esteja vendo a atrocidade que estão fazendo”, criticou.

Além de se assustarem com o bloqueio no meio da pista, os condutores protestaram pelo intervenção no espaço público. “A pista acabou de ficar pronta. Antes, tinha duas faixas para cada sentido. Agora, não vai mais ser dupla? Já faz muito tempo que convivemos com esse transtorno simplesmente porque a embaixada quer”, reclamou o geógrafo Tiago Pires, 31 anos, morador do Lago Norte. Todos os dias, ele precisa passar por esse acesso para ir ao trabalho. “No horário de pico, isso aqui vira uma confusão. Sem contar que fizeram buracos no asfalto novinho.”

O motorista de van escolar Elias Vaz, 45 anos, também reclamou. “O fluxo de veículos nesse trecho é muito alto. Com certeza, atrapalha. Além disso, estão fechando uma área de uso de todos”, disse. A secretária Mara Dias, 27 anos, moradora do Lago Sul, mostrou-se indignada. “O interesse particular não pode sufocar o interesse público. Ninguém perguntou aos motoristas o que eles achavam disso. Desse jeito, todo mundo vai se sentir no direito de fazer igual, quando quiser tocar uma obra em casa”, avaliou.

Entregue em 2010
A via que liga L4 Sul e L2 Sul tem um nome pouco conhecido pela população. É a ASF 5. Foi entregue inacabada em dezembro de 2010. O intuito era beneficiar motoristas que trafegam na região central da Esplanada dos Ministérios e setores Comercial e de Autarquias Sul, além daqueles que vêm do Lago Sul, do Jardim Botânico e dos condomínios.

De acordo com o Detran, cerca de 50 mil veículos passam pelo local, diariamente. São oito quilômetros de extensão. A via AFS 5 foi referendada por Lucio Costa, em 1974, por sua filha, Maria Elisa Costa, em 2006, e pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade