Publicidade

Estado de Minas

Especialistas aprovam faixas exclusivas no DF, mas dizem que ainda é pouco


postado em 27/01/2012 06:21 / atualizado em 27/01/2012 06:39

Carros trafegam pela faixa exclusiva na EPTG: fiscalização começará na terça-feira e será, a princípio, educativa (foto: Fotos: Bruno Peres/CB/D.A Press)
Carros trafegam pela faixa exclusiva na EPTG: fiscalização começará na terça-feira e será, a princípio, educativa (foto: Fotos: Bruno Peres/CB/D.A Press)

Na próxima semana, motoristas e usuários de transporte público devem ficar atentos às mudanças em duas importantes vias do Distrito Federal. Na terça-feira, uma faixa exclusiva para ônibus começará a funcionar na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). No dia anterior, desta vez na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), caminhões passam a ser proibidos de trafegar na pista entre as 6h e as 10h e das 17h às 20h. Além disso, veículos escolares, de transporte de trabalhadores para empresas, linhas interestaduais e táxis também poderão usar o corredor exclusivo para ônibus na via. Aos carros particulares, já era vetado esse trecho da EPNB desde 27 de dezembro.

Inicialmente, 20% das linhas que fazem o transporte público na EPTG não vão mais parar ao longo dos 11,5 quilômetros do corredor, que funcionará como via semiexpressa. Os outros 80% continuarão a trafegar normalmente nas avenidas marginais e atenderão os pontos de embarque e desembarque de passageiros. Além dos coletivos, apenas táxis, veículos escolares, ônibus fretados e interestaduais poderão usar a faixa. Para especialistas, as mudanças são positivas, mas o projeto inicial da linha verde precisa ser implementado. Os usuários do sistema de transporte público ficaram divididos. Para alguns, a medida vai diminuir o tempo de viagens e, para o outros, reduzirá a oferta de conduções.

O diretor-geral do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Marco Antonio Campanella, explicou que o tempo de viagem pela EPTG cairá em até sete minutos para quem usar o corredor exclusivo. Segundo Campanella, a medida também trará mais segurança à via, pois o corredor é usado por motoristas imprudentes que excedem o limite de velocidade da pista. A fiscalização começará paralelamente à implementação da faixa exclusiva, mas terá início de forma educativa. Atualmente, 400 ônibus circulam pelo local em horários de pico e outros 200 fora dos períodos mais movimentados.

“O governador Agnelo Queiroz determinou que usássemos a estrutura que foi construída para ônibus na EPTG. A Secretaria de Transportes deve publicar, até o início de março, o edital de licitação dos ônibus com porta do lado esquerdo para que as 17 estações ao longo da via comecem a ser utilizadas. As mudanças na EPNB também vão melhorar o tráfego na região e a fiscalização na avenida começará em 13 de fevereiro”, comentou.

Melhora parcial
Para o pesquisador em transportes da Universidade de Brasília Artur Morais, as mudanças na EPTG representam um avanço para os usuários dos ônibus. Segundo ele, muito dinheiro foi investido para melhorar o transporte público na via, mas nada aconteceu até o momento. “Isso vai diminuir em alguns minutos as viagens. Mas outros passos devem ser tomados, como, por exemplo, construir entradas para os coletivos no canteiro central, para que os passageiros desembarquem atrás da parada e a frota atual possa ser útil na EPTG”, sugeriu.

O pesquisador do Centro Interdisciplinar de Pesquisa em Transportes da UnB Flávio Dias também avalia a medida como positiva, mas acredita que o projeto da EPTG é ultrapassado. Segundo Dias, o pedestre não tem prioridade e precisa subir e descer escadas das passarelas para atravessar a via. “A solução para esse problema seria a construção de mergulhões ou passagens elevadas para os carros. Os pedestres caminhariam normalmente e os carros, sim, deveriam fazer voltas”, detalhou.

O lavador de carros Henrique das Chagas Bena, 48 anos, mora em Águas Lindas (GO) e trabalha no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Todos os dias, Bena usa os ônibus de linhas interestaduais para chegar ao serviço e voltar para casa. Para ele, o corredor exclusivo encurtará a viagem. “Achei essa iniciativa muito boa. Vamos chegar em casa mais cedo, com mais segurança, e os passageiros começam a ganhar prioridade.”

Eu acho...
(foto: Fotos: Bruno Peres/CB/D.A Press)
(foto: Fotos: Bruno Peres/CB/D.A Press)

“Não achei essa medida positiva porque o número de ônibus já é reduzido e, agora, teremos menos oferta. Em vez de fazer isso, o governo deveria comprar mais ônibus e licitar os que têm a porta do lado esquerdo. Sempre dizem que vão renovar a frota, mas, até agora, nada foi feito.”

Maria Erisan Bessa,
47 anos, servidora pública, moradora de Ceilândia

Novidades


EPTG
Como era

Carros e ônibus circulavam em todas as faixas da via, inclusive na que foi planejada para ser exclusiva aos ônibus.

Como fica
Agora, 20% das linhas de ônibus que percorrem a EPTG não farão mais paradas ao longo da via. Os outros 80% continuarão a trafegar normalmente nas avenidas marginais e atenderão os pontos de embarque e desembarque de passageiros. Além disso, apenas táxis, veículos escolares, ônibus fretados e interestaduais poderão usar a faixa.
   
EPNB
Como era

Caminhões circulavam livremente pela via e apenas ônibus trafegavam na faixa exclusiva.

Como fica
Caminhões ficarão proibidos de trafegar na EPNB entre as 6h e as 10h e das 17h às 20h. Veículos escolares, de transporte de trabalhadores para empresas, linhas interestaduais e táxis também poderão usar o corredor exclusivo para ônibus.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade