Publicidade

Estado de Minas

No Hospital de Base, vítimas relatam o que passaram dentro dos ônibus


postado em 03/02/2012 12:06 / atualizado em 03/02/2012 17:09

No Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), oito pessoas já foram liberadas depois de passarem por atendimento médico. Elas estavam assustadas e relataram os momentos que passaram dentro dos veículos. Duas delas estavam no ônibus da Viplan, que atingiu a traseira do outro coletivo. As vítimas contam que o motorista estava em alta velocidade e, antes da batida, não sentiram o ônibus frear e nem uma tentativa de reduzir a velocidade.

Uma das vítimas disse que na terça-feira (31/1) pegou o mesmo ônibus, que era conduzido pelo mesmo motorista. Segundo ela, na terça, ele também corria bastante e chegou a acertar o meio fio da via, mas conseguiu manter o veículo sob controle.

A auxiliar administrativa da Companhia Enérgica de Brasília (CEB) Juliana Soares, 30 anos, estava no ônibus que foi atingido. Ela conta que saiu de Samambaia e parou em Taguatinga para pegar o transporte para o trabalho, que fica no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). Juliana relata que estava no quarto banco (de trás para frente), e afirmou que o motorista não estava correndo. Ela disse que sentiu apenas uma manobra, que parecia desviar de alguma coisa, e depois a pancada. "O motorista de trás devia estar muito rápido, pois o impacto foi forte", ressalta.

Na hora da colisão, um homem que estava sentado atrás dela foi lançado para frente e uma das pernas dele a atingiu na cabeça. Juliana ficou presa entre os bancos nas ferragens. Ela deixou o hospital ainda um pouco tonta, com braço inchado, mas nada grave.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informou que atendeu cerca de 43 feridos, distribuídos em diferentes hospitais. Ao menos 19 pessoas foram levadas pelo Samu e bombeiros ao HBDF. Outros seguiram para Taguatinga, Brazlândia, Guará e Ceilândia.

Um defensor público esteve no hospital. Antônio Carlos Fontes Cintra informou que vai entrar com uma ação civil pública conjunta em defesa das vítimas para cobrar uma indenização. As duas empresas de transporte público envolvidas do acidente serão acionadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade