Publicidade

Estado de Minas

Em meio a polêmicas, alunos continuam a passar por situação constrangedora


postado em 22/03/2012 06:26 / atualizado em 22/03/2012 08:31

Novatos sujos de tinta e em fila estilo elefantinho: flagrante de mais um caso de desrespeito no campus da Universidade de brasília(foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)
Novatos sujos de tinta e em fila estilo elefantinho: flagrante de mais um caso de desrespeito no campus da Universidade de brasília (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)

Enquanto levanta-se a discussão sobre o fim dos trotes sujos na Universidade de Brasília (UnB), outra brincadeira de mau gosto ocorreu na instituição. Cerca de 40 aprovados no vestibular de ciências contábeis passaram ontem por um questionário que envolvia a vida e a opção sexual de cada um. Sujos de tinta da cabeça aos pés, eles eram obrigados a ir para a frente de uma roda, gritar o nome, dizer se eram heterossexuais ou homossexuais, além da posição preferida na cama.

Ao ser convocada pelos veteranos, uma caloura de 16 anos se recusou a dar tais detalhes. “Não quero falar nada, não”, afirmou. Diante de gritos e da insistência dos colegas, a garota levantou-se e disse: “O meu nome é Juliana*, sou hetero e não quero falar nada sobre posições”. Outra adolescente ouviu vaias ao dizer que era virgem. “É mentira, até parece. Diz a posição que você prefere”, reagiram calouros e veteranos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade