Publicidade

Estado de Minas

MPDFT desdobra Operação Monte Carlo da PF e prende diretor da Delta


postado em 25/04/2012 14:31 / atualizado em 25/04/2012 14:36

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) deflagrou nesta manhã a Operação Saint-Michel, um desdobramento da Monte Carlo, que apura suposto esquema de corrupção liderado pelo contraventor Carlinhos Cachoeira no Distrito Federal. Na operação, policiais da Divisão de Combate ao Crime Organizado (DECO) prenderam no início da manhã em Goiânia o ex-diretor da Delta Construções para o Centro-Oeste Cláudio Abreu.

Sob o comando dos promotores do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC), a Operação Saint-Michel apura um suposto envolvimento do grupo de Cachoeira na tentativa de conquistar o contrato de bilhetagem eletrônica do sistema de transporte público do DF. Um contrato de R$ 60 milhões. Além de Cláudio Abreu, um servidor do Governo do Distrito Federal, Valdir Reis, está entres os presos. Ele foi servidor da secretaria do Planejamento até 2010 e estaria lotado na subsecretaria de Cidades, segundo os investigadores.

Também tiveram a prisão preventiva decretada o vereador Wesley Clayton Silva (PMDB), vice-presidente da Câmara Municipal de Anápolis (GO), cidade de Cachoeira, e Dagmar Alves Duarte, suspeitos de participação nos crimes investigados. O Ministério Público e a Polícia Civil do DF cumpriram mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva em Brasília, São Paulo, Goiânia e Anápolis, deferidos pelo juiz da 5ª Vara Criminal de Brasília. Durante a ação, o MP do DF contou com o apoio do Ministério Público de Goiás. O DFTrans, órgão do governo do DF encarregado da fiscalização da operação do transporte, sofreu busca e apreensão nesta manhã.

Nas investigações da Monte Carlo, o Ministério Público Federal de Goiás esbarrou com a suspeita envolvendo o esquema no DF. Essas informações foram repassadas aos promotores de Justiça do NCOC que aprofundaram a apuração. Na elaboração da operação Saint-Michel, os investigadores cogitaram pedir também a prisão preventiva de Cachoeira, mas a medida foi descartada porque ele já está preso na Papuda, em Brasília.

Cláudio Abreu é apontado na Monte Carlo como um operador da Delta ligado a Cachoeira. Ele deixou o cargo de representante da empresa no Centro-Oeste depois do escândalo que resultou na criação da CPMI do Cachoeira no Congresso. Segundo investigação, Abreu atuava também no DF e tinha interesse no negócio de transporte. A Delta atua também no contrato de coleta de lixo. O vereador de Anápolis preso hoje é aliado político e amigo de Cachoeira. Foi um dos poucos a acompanhar na semana passada o enterro da mãe do contraventor.

A escolha do nome da operação é uma referência ao desdobramento do escândalo nacional. Como Monte Carlo, Saint-Michel é um bairro do principado de Mônaco, um quadradinho no meio do território, como o Distrito Federal. Todos os presos foram levados para a DECO, onde prestam depoimento.

Cachoeira e o araponga Idalberto Matias, o Dadá, também envolvido no suposto esquema, estão presos desde o início de abril.

Acompanhe a cobertura completa no Blog da Ana Maria Campos

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade