Publicidade

Estado de Minas

Criadores de gado investem em tecnologia de ponta para alavancar a pecuária

Pecuaristas investem em inseminação artificial, melhoramento genético e até clonagem para elevar a produtividade do rebanho local, que rende anualmente 4.799 toneladas de carne


postado em 30/04/2012 08:10 / atualizado em 30/04/2012 08:01

O pecuarista André Luiz Gontijo investiu em tecnologia e duplicou a produtividade:
O pecuarista André Luiz Gontijo investiu em tecnologia e duplicou a produtividade: "Na mesma área, consigo dobrar o número de animais" (foto: Bruno Peres/CB/D.A Press)

Conhecido nacionalmente como polo de produção de grãos, o Distrito Federal começa a investir em tecnologias para ganhar espaço no mercado de leite e carne. Criadores locais têm recorrido a processos de recuperação de nutrientes do solo — desenvolvidos por agricultores — com o intuito de elevar a qualidade das pastagens e melhorar a alimentação dos animais. Apesar de possuírem rebanhos modestos e fazendas pequenas, os pecuaristas da região se destacam por usar técnicas de seleção genética para alavancar a produtividade.

O presidente do Sindicato dos Criadores de Bovinos, Bubalinos e Equídeos do DF (SCDF), Geraldo Borges, explica que entre os procedimentos utilizados estão a inseminação artificial, a transferência de embriões e o melhoramento genético. “Até a clonagem é feita”, detalha. De acordo com Borges, apesar dos avanços tecnológicos, a maioria absoluta da carne e do leite consumida pelos brasilienses é importada de outros estados, como Minas Gerais, Goiás, Pará e Mato Grosso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade