Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga golpes aplicados por médico que atua na 910 Sul

Clínico-geral atende como neurologista e psiquiatra. Presidente do CRM classifica fato como "falta gravíssima". Pacientes reclamam de prejuízos financeiros


postado em 09/05/2012 08:12 / atualizado em 09/05/2012 08:33

O clínico-geral Adriano José Bizerra atende pacientes em uma sala do segundo andar de um centro clínico da 910 Sul(foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
O clínico-geral Adriano José Bizerra atende pacientes em uma sala do segundo andar de um centro clínico da 910 Sul (foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
O cartão de apresentação, os atestados, as receitas de medicamentos e a fachada da clínica não deixam dúvidas. Quem bate à porta de Adriano José Sabino Xavier Bizerra, 42 anos, procura um neurologista ou um psiquiatra. Alegando possuir as duas especialidades, o médico atende em uma sala do segundo andar de um centro clínico da 910 Sul. Para o Conselho Regional de Medicina, ele não poderia propagar esses aperfeiçoamentos, pois nem sequer tentou registrar as especializações. Ele não passa, portanto, de um clínico-geral, mas exerce a profissão de forma indevida. Além disso, é investigado pela Polícia Civil por estelionato, suspeito de dar golpes milionários em pacientes. Uma advogada da Asa Norte tornou-se vítima do médico duas vezes. Consultou-se por quatro anos com alguém que acreditava ser especializado em neurologia. %u201CTodo o meu tratamento foi feito com ele, que fazia os meus exames e também se dizia acupunturista e psiquiatra. Mas nunca cheguei a desconfiar%u201D, lamenta. O histórico médico da mulher é um misto de receitas, laudos e recibos com o carimbo do suposto golpista. A confiança era tanta que a mãe e o irmão da vítima também foram consultados com frequência.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade