Publicidade

Correio Braziliense

Conselho de educação adia votação sobre sistema de ensino em ciclos

Secretário afirma que mesmo assim as mudanças serão implementadas no dia 14


postado em 05/02/2013 19:14 / atualizado em 05/02/2013 19:17

O Conselho de Educação se reuniu na tarde desta terça-feira (5/2) para votar sobre a implementação ou não do projeto de educação em ciclos do governo, mas a votação foi adiada para uma próxima sessão, ainda sem data prevista.

O projeto já tinha sido colocado em votação na Câmara de Educação Básica (CEB), mas tinha sido derrubado. Dos 10 conselheiros, sete votaram contra e três não puderam votar porque são da secretaria.


Leia mais notícias de Cidades

Na reunião de hoje, o secretário da Educação Denilson Bento da Costa, usou da prerrogativa de presidir o conselho, e impediu a voltação em plenário. Dessa forma, a votação só será retomada quando o presidente colocar o tema em pauta em uma futura sessão.

O secretário garantiu que vai manter as mudanças que estão previstas para entrar em vigor no dia 14:

1º ciclo — 1º ao 3º ano do ensino fundamental
» O Bloco Inicial de Alfabetização (BIA) funciona no DF desde 2005. Esta fase não será alterada. Os alunos instalados nesse modelo são avaliados com frequência, mas sem reprovação. Somente no último ano do ciclo é que eles estão sujeitos à retenção. Caso eles não conquistem nota suficiente para avançar até o ciclo seguinte, podem ser retidos por um ano ou somente por três meses até conseguirem atingir o patamar de aprendizado necessário para o avanço.

2º ciclo — 4º ao 5º ano do ensino fundamental
» O BIA será ampliado para essas séries. A partir do ano letivo de 2013, não haverá reprovação na passagem de uma série para a outra. Isso só ocorrerá no avanço para o 6º ano. Caso o aluno reprove nesta etapa, pode ser retido por mais um ano até recuperar o conteúdo que não sabe. Porém, essa retenção é diferente do atual sistema de ensino. Se o aluno alcançou o desempenho necessário em português, por exemplo, mas ainda tem deficiência em matemática, ele terá aulas focadas nas dificuldades dele até que esteja nivelado com os outros estudantes.

» Em 2013, essa mudança só é obrigatória em cinco regionais de ensino, com capacidade para implementar o sistema: Santa Maria, São Sebastião, Recanto das Emas, Núcleo Bandeirante e Guará. São 70 escolas e 35 mil alunos atingidos.

3º ciclo — 6º ao 9º ano do ensino fundamental
» Não haverá mudanças nessa fase. O ensino continua seriado, com avaliação anual, com possibilidade de retenção caso o aluno reprove. Hoje, somente três escolas no DF têm condições de mudar o sistema seriado para o de ciclos nesta fase. Caberá a elas fazer a escolha sobre o que pretendem adotar. Nenhuma instituição será obrigada a mudar o modelo de aprendizagem ainda em 2013. O estudo é de que haja mudanças em 2014.

4º ciclo — 1º, 2º e 3º anos do ensino médio
» Continua a ser seriado, mas o ensino ocorrerá por semestres. Na antiga metodologia, os alunos tinham até 19 matérias divididas durante todo o ano letivo. Com as mudanças definidas pela nova política educacional, o ensino será reorganizado por áreas de conhecimento.

» Valerá somente para as escolas exclusivas de ensino médio, com número de turmas pares. Serão afetadas 63 instituições desse tipo, entre as 86 do DF.

» Funcionará com a divisão dos alunos por área de conhecimento. Em uma turma de 30 alunos, por exemplo, 15 estudarão exatas no primeiro semestre e 15, humanas. No segundo semestre, isso é invertido.

» Caso o estudante fique de recuperação em um a disciplina, ele terá três chances para melhorar. Serão duas recuperações ao longo do semestre no qual a matéria é ministrada e mais uma no fim do ano. O aluno ainda avança de série por meio da dependência. Ele pode reprovar em até duas matérias e ir para a série seguinte com o compromisso de recuperar a nota nas disciplinas anteriores.

Com informações de Ana Pompeu

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade