Publicidade

Estado de Minas

GDF sanciona leis que reestruturam carreira de professores e assistentes

Em 2016, o piso de um assistente de educação sairá dos atuais R$ 680 para cerca de R$ 2.700; já os professores sairão dos atuais R$ 4.300 para R$ 5.200


postado em 03/05/2013 14:18 / atualizado em 03/05/2013 14:35

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, sancionou, na manhã desta sexta-feira (3/5), no Palácio do Buriti, duas leis que tratam da reestruturação das carreiras do magistério e da assistência à educação pública do DF.

"Uma conquista dos professores é uma conquista que vai se traduzir em benefícios para a cidade. Encontramos um estado desorganizado, mas fomos capazes de fazer os ajustes necessários para podermos anunciar estes projetos, que também trazem reajustes salariais", afirmou o governador em discurso.

Foram reivindicados que assistentes e professores teriam incorporadas as gratificações em atividade de dedicação exclusiva em tempo integral (tidem) e de atividade técnico— administrativa (gata), com reajustes médios, respectivamente, de 24% e 25% para os próximos três anos.

Leia mais notícias em Cidades


Em 2016, quando o escalonamento de reajustes for concluído, o piso de um assistente de educação sairá dos atuais R$ 680 para cerca de R$ 2.700. Já os professores sairão dos atuais R$ 4.300 para R$ 5.200.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade