Publicidade

Estado de Minas

Botânica se une a fiéis para coletar amostra de líquido que brota de árvore

Término do suposto milagre do gelo coincide com o fim da produção da seiva que alimenta insetos instalados na sucupira. Botânica garante que a situação é natural, mas peregrinos preferem acreditar que o local foi abençoado por Nossa Senhora Aparecida


postado em 11/05/2013 06:45

Doutora em botânica, Renata Martins confirmou que a planta é uma sucupira-preta e disse que já viu a formação da espuma outras vezes(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
Doutora em botânica, Renata Martins confirmou que a planta é uma sucupira-preta e disse que já viu a formação da espuma outras vezes (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)

 

A árvore que vem chamando a atenção de fiéis e curiosos em todo o Distrito Federal tem nome confirmado: Bowdichia virgilioides, popularmente conhecida como sucupira-preta. A doutora em botânica pela Universidade de Brasília Renata Corrêa Martins, de 45 anos, se uniu ontem aos visitantes da planta para coletar amostras e investigar qual era a espécie.

Leia mais notícias em Cidades

O exemplar atraiu a atenção dela depois da notícia de um suposto milagre no local, realizado por Nossa Senhora Aparecida, que teria feito brotar gelo nos galhos da árvore no último dia 3, segundo o padre José Ribamar Rodrigues Dias. Durante a tarde de ontem, Renata esteve na Chácara da Gruta, no Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia, local considerado santo pela Igreja Ortodoxa.

Para a cientista, o que aconteceu provavelmente é a explicação dada por outros pesquisadores: a árvore está com uma estrutura de casulo, produzida por insetos, que ingerem a seiva e excretam o excesso. “Esse é um fenômeno completamente natural. Não acredito que seja algo extraordinário, mesmo porque já vi isso acontecer em outras plantas”, garantiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade