Publicidade

Estado de Minas

Brasília atrai grifes de luxo e se torna referência de alto consumo

Marcas internacionais estão aportando na cidade. Apesar da crise econômica, a capital federal aproveita a renda per capita bem acima da média nacional. Lojas renomadas dos EUA e do Uruguai abriram unidades


postado em 02/08/2013 06:03 / atualizado em 02/08/2013 00:27

O engenheiro Geraldo da Silva, morador de Taguatinga, diz que trabalha muito e se dá o direito de usufruir do esforço:
O engenheiro Geraldo da Silva, morador de Taguatinga, diz que trabalha muito e se dá o direito de usufruir do esforço: "Quero andar bem vestido" (foto: Monique Renne/CB/D.A Press )

Indiferentes à crise econômica que abalou o comércio, marcas estrangeiras confiam no poder de compra da elite brasiliense. Três anos atrás, as grifes internacionais começaram a desembarcar na cidade. Hoje, os empresários ainda acreditam que podem conquistar espaço no mercado de luxo de Brasília. Nesta semana, três marcas criadas em outros países abriram as portas na capital federal, e mais duas devem chegar ainda neste semestre. A marca americana Skechers e a uruguaia Lu by Lolita começaram a operar em dois shoppings antes mesmo de passar pelo eixo Rio-São Paulo, como ocorre tradicionalmente.

A unidade latina foi trazida pela também uruguaia Yohana Tognolo, 39 anos, dos quais 22 em Brasília. Servidora pública, ela pediu licença do trabalho para montar a primeira franquia da marca do seu país de moda feminina no Brasil. A loja foi inaugurada na última terça-feira e atraiu centenas de pessoas curiosas com a novidade.

“Eu optei por começar aqui e, depois, expandir pelo Brasil. Até cogitei São Paulo, mas os donos da marca vieram a Brasília e ficaram impressionados com a cidade”, conta. “Achamos que nossa roupa, casual e bem arrumada ao mesmo tempo combina muito bem com as servidoras públicas de Brasília e com o corpo diplomático”, diz Yohana, que pretende abrir outra loja até o fim do ano. A Lu by Lolita tem roupas que se assemelham às de outras marcas em operação na cidade como a Cori, a Gregory e a Avanzzo, mas não tem artigos para festa. Os preços variam entre R$ 179,90 (valor de uma t-shirt) e R$ 899 (cobrado por um casaco de inverno). Calças sociais custam de R$ 299 a R$ 399, e camisas ficam entre R$ 199 e R$ 299.

A matéria completa está disponível para assinantes aqui. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade