Publicidade

Estado de Minas

Professores incrementam rendimentos com a temporada das aulas particulares

A proximidade do fim do ano letivo é uma boa chance para professores ganharem um extra. Na tentativa dos pais em melhorar o desempenho dos filhos na escola, a procura pelo serviço aumenta até 50%. Docentes cobram de R$ 20 a R$ 100 por hora/aula


postado em 11/09/2013 06:04

"Nesta época do ano, chego a faturar R$ 4 mil com o reforço", calcula a professora particular Karla Souza (foto: Bruno Peres/CB/D.A Press)


O quarto bimestre escolar se aproxima e as preocupações relacionadas ao desempenho dos alunos começam a se intensificar. O fantasma da recuperação e da reprovação leva muitos pais a recorrerem às aulas de reforço. Ao fim do ano letivo, a procura pelo serviço aumenta até 50% na capital federal, segundo estimativa do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF), e, com isso, o faturamento dos profissionais também é elevado. O valor da hora/aula varia entre R$ 20 e R$ 100 em Brasília, dependendo das necessidades do aluno e da qualificação do professor.

O presidente do Sinproep-DF, Rodrigo de Paula, explicou que não há uma regulação específica para licenciados que dão aulas de reforço. “Nesse caso, o próprio trabalhador determina quanto é cobrado, porque ele é considerado autônomo. Geralmente, fecham pacotes, para que fique mais em conta para os pais, mas o valor varia de acordo com diversos fatores. Se o profissional é muito recomendado, pode embolsar um pouco mais”, esclareceu.

Rodrigo frisou que apenas docentes com nível superior em sua área de atuação podem dar aulas particulares. “Acontece muito de alunos desses cursos superiores ou de outros que têm facilidade em determinada matéria oferecerem o serviço, mas, na verdade, eles podem apenas atuar como monitores. É um mercado bem informal, tanto que a maior parte dos profissionais têm outros empregos e dão o reforço nos horários vagos”, destacou o presidente da entidade.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade