Publicidade

Estado de Minas

Salas de aula construíram grandes amizades entre professores e alunos

Não há quem não se lembre de um professor marcante. Muitos se recordarão de vários. Veja histórias em que a relação dentro da sala de aula influenciou também a vida fora dela, tanto de pessoas comuns quanto de personalidades


postado em 15/10/2013 06:02

Ainda criança, Evelyne Gebrin (E) conheceu a ex-freira Maria Gláucia, na década de 1960: a amizade permaneceu(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
Ainda criança, Evelyne Gebrin (E) conheceu a ex-freira Maria Gláucia, na década de 1960: a amizade permaneceu (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)

 

Do bê-á-bá aos conceitos mais complexos. Da pequena bronca ao carinho mais sincero. Dentro de sala de aula ou do portão para fora, são eles que ensinam português, matemática, história, geografia. E vão além. Passam os ideais de cidadania, transmitem confiança e, em alguns casos, influenciam diretamente na escolha da profissão que o aluno seguirá por toda a vida. Professores, mestres, docentes, seja qual for o termo usado para identificá-los, eles despertam os sentimentos mais diversos: de admiração, de carinho, de raiva, de felicidade ou de tristeza. Para uns, são a primeira paixão; para outros, o significado dos primeiros desafios. Todos os que desejam ter um diploma em mão, seja lá de qual nível for, passarão pelas mãos do educador.

Leia mais notícias em Cidades


No dia deles, o Correio conversou com pessoas que foram marcadas pela forma como os professores lhes ensinaram. Eles nunca esqueceram os gestos em sala de aula, a transmissão de conhecimento responsável por formar cidadãos, hoje, orgulhosos do papel que representam na sociedade. Para Wilson Marra Júnior, 39 anos, o docente de matemática do ensino médio, concluído em 1991, mudou toda a percepção que ele tinha da matéria — uma da mais odiadas pelos estudantes, devido à dificuldade agregada pelos números. “Foi ele que me ensinou a gostar de matemática. A forma como ele conduzia as aulas, as brincadeiras, os ensinamentos por meio das cartas do baralho”, relata Wilson.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade