Publicidade

Estado de Minas

Temporal em Brasília teve 370 raios, três vezes mais que o normal

No Brasil, caem 50 milhões de raios por ano. Por uma série de fatores, o Distrito Federal registra alta incidência do fenômeno.


postado em 15/02/2014 08:02 / atualizado em 15/02/2014 11:35

Raio durante chuva da última quinta; com a força do vento, tenda de evento não resistiu(foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
Raio durante chuva da última quinta; com a força do vento, tenda de evento não resistiu (foto: Monique Renne/CB/D.A Press)

Com forte chuva, alagamentos, inundações, árvores caídas e carros submersos, os brasilienses viveram muitos estragos em um curto período de tempo na noite da última quinta-feira. Para piorar a situação, durante o temporal, caiu um número quase três vezes maior de raios do que o considerado alto num período de 24 horas. Segundo o Grupo de Eletricidade Atmosférica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Elat/Inpe), 370 descargas elétricas atingiram a capital durante esse dia. A partir de 100 registros, a quantidade é considerada alta pelo órgão.

Um desses raios atingiu uma tenda instalada em frente ao Museu Nacional para o 1º Simpósio Nacional do Movimento Junino. O evento reunia 200 pessoas. Dessas, 39 ficaram feridas (leia reportagem ao lado). As vítimas foram liberadas do Hospital de Base do DF duas horas mais tarde sem ferimentos graves. Outra descarga atingiu uma casa na QE 30 do Guará. O armário pegou fogo, a televisão explodiu e a parede ficou manchada de preto.

Por uma série de fatores, o Distrito Federal registra alta incidência do fenômeno. “Em função do clima e de ser uma área alta e mais plana em cima, temos um alto número de raios. O regime de ventos também influencia. Na época de chuvas, há muitas tempestades e, aí, mais raios”, explica o professor de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB) Mauro Moura. “Quanto mais luminosidade e maior o barulho do trovão, maior a potência”, detalha.

Leia mais notícias de Cidades.

No Brasil, caem 50 milhões de raios por ano. A explicação é geográfica: é o maior país da chamada zona tropical do planeta — área central onde o clima é mais quente e, portanto, favorável à formação de tempestades. A média em Brasília é de 5,31 raios por quilômetro quadrado por ano, de acordo com dados do Elat. O DF tem 6,19 raios por km². No ranking nacional, liderado pelo Rio Grande do Sul (18,38), por Santa Catarina (12,33) e por Mato Grosso do Sul (11,88), o DF aparece como a 12º unidade da Federação mais atingida.

De 2000 a 2012, o Elat registrou 1.601 mortes por raios no país. As circunstâncias incluem pessoas que estavam embaixo de árvores, em áreas de prática de esportes, em praias, próximas a cercas, ao telefone, entre outros. Nos mesmos 12 anos, nove pessoas perderam a vida atingidas por raios no DF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade