Publicidade

Estado de Minas

Protestos contra estupro é confirmado em frente ao Museu Nacional

Até agora, são mais de 800 pessoas confirmadas. Segundo os manifestantes, o fato do Ipea errar não muda a situação mundial da violência contra a mulher


postado em 05/04/2014 11:08 / atualizado em 05/04/2014 11:15

(foto: Facebook/Reprodução)
(foto: Facebook/Reprodução)


As manifestações contra a chamada cultura do estupro continua, apesar da confirmação do erro crasso do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que aumentou em 39% a quantidade de pessoas favoráveis ao ataque a mulheres que usam pouca roupa. Um grupo de 20 pessoas organiza o evento "Ninguém merece ser estuprado", que vai ser realizado às 14h deste sábado (5/4), no Museu Nacional.

Até agora, são mais de 800 pessoas confirmadas. Segundo os manifestantes, o fato do Ipea errar não muda a situação mundial da violência contra a mulher. "Uma em cada três mulheres sofre algum tipo de abuso sexual, devemos protestar sempre", enfatizou a jornalista Georgiana Calimeris, 40 anos, uma das organizadoras do evento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade