Publicidade

Estado de Minas

Assaltantes invadem construção de hospital e levam material importado

Responsáveis pelo empreendimento ainda calculam os prejuízos


postado em 24/07/2014 06:03 / atualizado em 24/07/2014 08:08

Janelas de alumínio, fechaduras, esquadrias, portas e maçanetas metálicas ficavam em contêineres no canteiro de obras do Bloco 2 do hospital(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Janelas de alumínio, fechaduras, esquadrias, portas e maçanetas metálicas ficavam em contêineres no canteiro de obras do Bloco 2 do hospital (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

 

O atraso nas obras de um dos blocos do Hospital da Criança de Brasília, no fim da Asa Norte, contribuiu para furtos de material de construção no local. A estrutura deveria ter sido entregue em dezembro do ano passado, mas ainda se encontra na fase da fundação. Diante disso, janelas de alumínio, fechaduras, esquadrias, portas e maçanetas metálicas importadas dos Estados Unidos se tornaram alvo de criminosos em 12 ou 13 de julho. Os valores do prejuízo ainda são calculados.
A Secretaria de Saúde informou que o material levado por bandidos estava dentro de contêineres fechados. “Um engenheiro da WFO (Organização Mundial da Família, sigla em inglês, responsável pelo empreendimento) registrou ocorrência na 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte)”, explicou, por meio de nota enviada pela assessoria de Comunicação. O caso acabou repassado à Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF) da Polícia Civil do DF.

Leia mais notícias em Cidades

A pasta não admite que a obra do Bloco 2 está atrasada desde dezembro, embora um banner afixado na entrada do Bloco 1 confirme a informação. Alega que a conclusão estava prevista para o primeiro trimestre de 2014. No entanto, a construção ficou prejudicada, segundo a Secretaria de Saúde, por causa de problemas técnicos. A equipe responsável encontrou rochas no terreno. Isso dificultou a fundação do prédio e a instalação das estacas que demarcam o espaço. O custo total do novo edifício, entre montagem, construção e equipamentos prediais e hospitalares, é de R$ 120 milhões. O Governo do Distrito Federal pagará R$ 100 milhões. A WFO, R$ 20 milhões.

Os equipamentos furtados chegaram de navio dos Estados Unidos a Salvador, na Bahia. Começaram a alcançar o DF de caminhão em 2013. Em março, os últimos contêineres desembarcaram em Brasília. O material levado pelos criminosos estava no espaço onde será construído o novo prédio de 21 mil metros quadrados. O ataque aconteceu em um fim de semana, e os funcionários do empreendimento só identificaram a falta na segunda-feira pela manhã.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade