Publicidade

Estado de Minas

Secretaria investiga consumo de entorpecentes em clínica de recuperação

Falha na segurança permite entrada das drogas, levadas pelos próprios familiares dos pacientes


postado em 10/09/2014 17:03 / atualizado em 11/09/2014 16:06

Uma clínica de recuperação para dependentes químicos foi denunciada pela TV Brasília por permitir a entrada de drogas para consumo dos internos. O local está situado em Brazlândia, a aproximadamente 40 km de Brasília. Segundo a denúncia, por falha nas vistorias, amigos e familiares dos pacientes estariam entrando com entorpecentes.

Na clínica, os internos usam piscina, academia e banheira de hidromassagem. A diária no local, para um quarto individual, custa cerca de R$ 500.

A mãe de um dos dependentes, internado no início do ano, conta que o filho, viciado em maconha e cocaína, teve acesso a drogas dentro do estabelecimento. Ela gravou uma conversa com uma enfermeira do local. A funcionária afirma que os pais colocam os entorpecentes em barras de chocolate e xampus para levar para os filhos. Na gravação, a moça ainda denuncia que os pais dos internos alegam que preferem que os filhos consumam droga dentro da clínica, em “segurança”.

 

Leia mais notícias em Cidades

O proprietário da clínica afirma que tinha conhecimento de alguns casos de consumo de droga, mas alega que o sistema de segurança do local é rigoroso e assegura a ação da polícia nas revistas da casa. Entretanto, ele reforça que os casos de consumo ocorrem com consentimento dos familiares dos internos, conforme explicou a enfermeira.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) diz que vai investigar o caso. Segundo a pasta, o tratamento de dependentes químicos é feito pelo governo em nove Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Cinco das unidades - em Samambaia, Ceilândia, Taguatinga e duas no Plano Piloto - funcionam 24h por dia.

Assista às reportagens da TV Brasília





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade