Publicidade

Estado de Minas

Gestores temporários assumem as administrações regionais do DF

Com promessa de ouvir deputados distritais na escolha dos chefes que comandarão as cidades, Rollemberg só vai nomear auxiliares definitivos na semana que vem. Por enquanto, o DF está dividido entre sete gestores interinos


postado em 06/01/2015 07:34 / atualizado em 06/01/2015 07:40

O Governo do Distrito Federal anunciou ontem (5/1) o nome de sete gestores que assumirão interinamente a chefia das 31 regiões administrativas. A escolha dos titulares definitivos das administrações ainda é negociada e eles serão divulgados, provavelmente, no começo da próxima semana. Por enquanto, Rodrigo Rollemberg (PSB) preferiu dividir o DF por macrorregiões (Veja o mapa ao lado) e indicar aliados para assumir de forma temporária as unidades. O objetivo do comando do Palácio do Buriti é que os órgãos não parem de funcionar enquanto as tratativas políticas estão em andamento.

Como praticamente não foram consultados na formação do secretariado, os deputados distritais ficaram insatisfeitos com Rollemberg. O socialista, então, prometeu ouvir os parlamentares na escolha dos administradores. Com isso, acalmou a Câmara Legislativa e conseguiu eleger Celina Leão (PDT), como queria, para presidente da Casa. Nos bastidores, a informação, por exemplo, é que Rodrigo Delmasso (PTN) indicaria o administrador do Guará; o PRTB, de Liliane Roriz, o de Brazlândia; e Lira (PHS) o de São Sebastião.
 
 
Ontem pela manhã, na ponta da mesa do Salão Nobre do Buriti, estavam duas placas com os nomes do governador e do vice, Renato Santana, que anunciariam os administradores interinos. Antes do início da cerimônia, contudo, a placa com o nome de Rollemberg foi trocada pela do secretário de Relações Institucionais e Sociais, Marcos Dantas. Coube, então, ao chefe da pasta e ao vice divulgarem os sete nomes. Dantas explicou que o prazo para a indicação dos definitivos foi prorrogado porque o governo está levando em conta muitos critérios, como ser morador e exercer uma liderança na cidade, antes de fazer as nomeações. “Vamos concluir esse processo e, se Deus quiser, na próxima semana todos conhecerão os administradores”, prometeu Dantas.

Problemas

Questionado se o período de transição não foi suficiente para levantar esses nomes, o secretário afirmou que a cidade vive muitos problemas. “O governo tem olhado com mais atenção a demandas emergentes, como a saúde e o transporte. Claro que as adiministrações não são menos importantes, tanto é que hoje começamos a agir para não ter nenhuma paralisação de serviços”, argumentou. O vice-governador, Renato Santana, afirmou que a demora para a escolha se dá porque Rollemberg determinou que as decisões ocorram com “muita cautela”.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade