Publicidade

Estado de Minas

Governador Rodrigo Rollemberg decreta situação de emergência no DF

Decisão vem no quarto dia de paralisação dos médicos da secretaria de Saúde. Governo cita um déficit de R$ 720 milhões em relação ao ano passado


postado em 19/01/2015 19:52 / atualizado em 19/01/2015 22:02

Governo prevê um déficit de R$ 720 milhões para a Saúde em 2015(foto: Bernardo Bittar/Esp. CB/D.A Press)
Governo prevê um déficit de R$ 720 milhões para a Saúde em 2015 (foto: Bernardo Bittar/Esp. CB/D.A Press)


No quarto dia de paralisação dos médicos da rede pública, o governo do Distrito Federal decretou situação de emergência. O anúncio foi feito pelo governador Rodrigo Rollemberg. O orçamento da Lei Orgânica do DF prevê R$ 720 milhões a menos para Saúde em 2015 em relação ao ano passado. O GDF prevê um gasto de R$ 3,7 bilhões na área.

O decreto, que declara a situação emergencial, deve ser publicado no Diário Oficial desta terça-feira (20/1). Na noite desta segunda-feira, a Procuradoria Geral do DF entrou com uma ação ordinária no Tribunal de Justiça do DF e dos Territorios (TJDFT) para pedir a ilegalidade da greve dos médicos decretada na última quinta-feira. Findada a reunião com os servidores da Educação, o socialista se reuniu com o secretário de Saúde, João Batista de Souza, e a procuradora-geral do DF, Paola Aires, para desenvolver o decreto.

Leia mais notícias em Cidades


A situação de emergência prevê maior facilidade na compra de medicamentos. Além disso, dá ao secretário de Saúde o poder de, durante o período, requisitar profissionais da área de saúde do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Militar e da Polícia Civil para prestar atendimento de serviços na rede pública.

A decisão veio um dia após reunião com representantes do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico), na qual o governo não chegou a um acordo e ainda ouviu exigência de pagamentos até março.

Um novo encontro está marcado para a próxima terça (20/1), na véspera da assembleia da categoria, que vai decidir pela volta ou não aos trabalhos às 19h30, na sede do SindMédico.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade