Publicidade

Estado de Minas

Aumentos chegam ao carnaval e atingem em cheio o bolso do folião

Comprar pacote de viagem na véspera da folia é certeza de gastar mais do que em outras épocas. Mesmo quem se planejou desde o ano passado sentiu no bolso o aumento, não só em passagem e hospedagem, mas também nos ingressos e nas fantasias


postado em 13/02/2015 06:00 / atualizado em 13/02/2015 06:07

Gerente de uma loja de fantasias, Jucelio admite que os preços, este ano, estão mais altos do que em 2014(foto: Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press)
Gerente de uma loja de fantasias, Jucelio admite que os preços, este ano, estão mais altos do que em 2014 (foto: Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press)


É preciso ter disposição para aproveitar o carnaval. E isso não se refere apenas ao pique necessário para acompanhar as programações da festa de Momo. Os preços de passagens, fantasias, abadás e hospedagem estão de assustar qualquer folião despreparado. Engana-se quem pensa que é por conta da proximidade com a data. Até quem se organizou para pagar os custos durante o ano sentiu no bolso o preço da diversão. Para especialistas, os aumentos são normais, seguem a inflação, mas alguns acabam excessivos por conta de uma boa dose de especulação.

A um dia do começo oficial do carnaval, pacotes de viagem para os roteiros mais procurados, como Rio de Janeiro e Salvador, saem na faixa de R$ 6,5 mil. Opções mais perto da capital federal, como Pirenópolis, Alto Paraíso e Goiás Velho, já não têm vagas disponíveis na maioria dos hotéis e pousadas. Os que ainda têm cobram até R$ 2,6 mil por um “pacote de carnaval”, com quatro diárias e café da manhã para um casal. Em Caldas Novas, de 13 a 19 de fevereiro, é possível achar diárias em hotéis de R$ 341 a R$ 550. Pousada é mais barato. Na faixa dos R$ 120.

Há 18 anos “casada” com o carnaval de Salvador, a assessora parlamentar Carmem Gorete Coelho Santos, 39, se planejou para curtir com tudo a que tem direito. Bom hotel, abadás para todos os dias de festa e reserva de dinheiro para táxi e alimentação. Mesmo assim, pagou mais caro do que em 2014, quando fez praticamente a mesma programação. E o aumento dos preços ela sentiu assim que chegou à capital baiana, no último dia 8. O táxi, que custou R$ 90 em 2014, saiu por R$ 127 este ano. “Também senti aumento no preço do hotel. Mas, como venho todos os anos, sinto em todos, pois é normal ter. Eu me organizo com antecedência e pago durante o ano porque gosto”, explicou a assessora, que gastou cerca de R$ 2 mil a mais com toda a viagem.

Nas agências de viagem, os pacotes prontos estão quase esgotados. Para os roteiros mais procurados, não há disponibilidade. É preciso que o agente monte um específico para o cliente. Para o Rio de Janeiro, R$ 7,7 mil pagam a diversão. Com desconto, restam os para o Nordeste. Porto Seguro, por exemplo, com hotel perto da praia e das atrações, poderia ser o destino do folião disposto a desembolsar, em média, R$ 4,5 mil. Opções mais enxutas e com hotéis longe da praia saem um pouco mais em conta, a partir de R$ 3,7 mil.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade